Metodologia ativa aplicada ao ensino odontológico: um panorama nacional a partir de um estudo bibliométrico

Monicky Mel Silva Araújo Maciel, Klayne Barros Nascimento da Silva, Jéssica Gomes Alcoforado Melo, Diego Moura Soares

Resumo


A formação dos profissionais de saúde tem sido pautada no uso de metodologias tradicionais, entretanto, o uso da metodologia de ensino ativa tem sido uma ferramenta estimulada pelas Diretrizes Curriculares Nacionais, neste processo, os profissionais formados se tornam habilitados para desempenhar funções críticas. Este estudo tem como objetivo avaliar a produção científica nacional de trabalhos publicados nos anais do SBPqO em 2016 e 2017, que avaliaram o uso de  metodologias ativas no ensino odontológico. Uma busca ativa foi realizada em todos os resumos publicados e avaliou-se aspectos como distribuição geográfica, financiamento, tipo de instituição e área da Odontologia. Foram lidos um total de 6.500 artigos mas  apenas 32 foram incluídos. A região sul foi responsável pela maior quantidade dessa produção (51%). As pesquisas realizadas nas instituições privadas representaram 45% da produção nacional e apenas 28% dos trabalhos foram financiados. Com relação a área de conhecimento a Radiologia e Cirurgia/Anestesiologia foram os mais predominantes correspondendo a 15,3% do total cada. Verificou-se uma escassez da produção científica voltada para o uso de metodologias ativas no Brasil, bem como a necessidade de descentralização dessa produção nas demais regiões/estados brasileiros e uma maior diversificação de áreas de conhecimento.

Descritores: Odontologia; Educação em Odontologia; Educação em Saúde.

Referências

  1. Capra F. O ponto da mutação: a ciência, a sociedade e a cultura emergente. São Paulo: Cultrix; 2006.
  2. Behrens MA. O paradigma emergente e a prática pedagógica. Petrópolis: Vozes; 2005.
  3. Brasil MEC. Diretrizes curriculares nacionais para os cursos de graduação em odontologia. Diário Oficial da União, 2002.[Acesso em 10 de janeiro de 2018]; Resolução CNE/CES 3/2002. Seção 1, p. 10. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/ cne/arquivos/pdf/ CES032002.pdf
  4. Fernandes JD, Ferreira SL, La Torre MPS, Rosa DOS, Costa HOG. Diretrizes estratégicas para a implantação de uma nova proposta pedagógica na Escola de Enfermagem da Universidade da Federal da Bahia. Rev bras enferm. 2003;56(54):392-95.
  5. Freire P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 33. ed. São Paulo: Paz e Terra; 2006.
  6. Costa CRBSF, Siqueira-Batista R. As teorias do desenvolvimento moral e o ensino médico: uma reflexão pedagógica centrada na autonomia do educando. Rev Bras Educ Med. 2004;28(3):242-50.
  7. Demo  P. Professor  do  futuro  e  reconstrução  do conhecimento. Petrópolis: Vozes; 2004.
  8. Cyrino EG, Toralles-Pereira ML. Trabalhando com estratégias de ensino-aprendizado por descoberta na área da saúde: a problematização e a aprendizagem baseada em problemas. Cad Saúde Pública. 2004;20(3):780-88.
  9. Cavalcanti AL, Melo TRNB, Barrosos KMA, Souza FEC, Maia AMA, Silva ALO. Perfil da Pesquisa Científica em Odontologia Realizada no Brasil. Pesqui bras odontopediatria clin integr. 2004;4(2):99-104.
  10. Xavier AFC, Silva ALO, Cavalcanti AL. Análise da produção científica em Odontologia no nordeste brasileiro com base em um congresso odontológico. Arq Odontol. 2011;47(3):127-34.
  11. SBPqO. Estatística SBPqO. Conexão SBPqO, 2016 [Acesso em 03 de janeiro de 2018];30 (supl 1). Disponível em: http://www.sbpqo.org.br/ hotsite2016/anais/BOR-v030-Suppl-Book-p7d.pdf
  12. SBPqO. Estatística SBPqO. Conexão SBPqO. [Acesso em 03 de janeiro de 2018]; 31(supl. 2). Disponível em: http://www.sbpqo.org.br/ hotsite 2017/Anais/BOR-v031-SBPqO-Book_v12.pdf
  13. Oliver R, Kersten H, Vinkka-Puhakka H, Alpasan G, Bearn D, Cema I et al. Curriculum structure: principles and strategy. Eur J Dent Educ. 2008;12(Suppl 1):74-84.
  14. Brasil. Lei no 9.394 de 20 de dezembro de 1996. Diário Oficial da União 1996.
  15. Cotta RMM, Mendes FF, Muniz JN. Descentralização das políticas públicas de saúde – do imaginário ao real. Viçosa: UFV/Cebes; 1998.
  16. Almeida M. Diretrizes curriculares para os cursos universitários na área de saúde. Londrina:Rede Unida;2003.
  17. Mitre SM, Siqueira-Batista R, Girardi-de-Mendonça JM, Morais-Pinto NM, Meirelles CAB, Pinto-Porto C et al. Metodologias ativas de ensino-aprendizagem na formação profissional em saúde: debates atuais. Ciên. Saúde Coletiva. 2008;13(Sup 2):2133-44.
  18. Carvalho RB, Costa TBC, Gomes MJ, Santos KT, Guerra SMG. Formação docente em odontologia no Brasil: sugestões de mudanças após as diretrizes curriculares nacionais. Rev Bras Pesqui Saúde; 2010;12(4):39-44.
  19. Aquino SN, Martelli DR, Bonan PRF, Laranjeira AL, Martelli Júnior H. Produção científica odontológica e relação com agências de financiamento de pesquisa. Arq Odontol. 2009;45(3):142-46.
  20. Araújo EC, Batista SH, Gerab IF. A Produção Científica sobre Docência em Saúde: um Estudo em Periódicos Nacionais. Rev bras educ med. 2011;35(4):486-92.
  21. Cavalcante AN, Lira GV, Cavalcante Neto PG, Lira RCM. Análise da Produção Bibliográfica sobre Problem-Based Learning (PBL) em Quatro Periódicos Selecionados. Rev bras educ med. 2018;42(1):15-26.
  22. Guimarães R, Lourenço R, Cosac S. A pesquisa em epidemiologia no Brasil. Rev Saúde Pública. 2001;35(4):321-40.
  23. Secco LG, Pereira MLT. Formadores em odontologia:profissionalização docente e desafios político-estruturais. Ciênc saúde coletiva. 2004;9(1):113-20.
  24. Dias AA, Narvai PC, Rego DM. Tendências da produção científica em odontologia no Brasil. Rev Panam Salud Publica/Pan Am J Public Health 2008;24(1):54-60.
  25. Melo NB, Fernandes Neto JA, Catão MHCV, Bento PM. Metodologia da problematização e aprendizagem baseada em problemas na odontologia: análise bibliométrica dos trabalhos apresentados nas Reuniões da SBPqO. Rev ABENO. 2017;17(2):60-7.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21270/archi.v8i2.3218

Indexação em Base de Dados (Catálogo de Revistas Científicas)
  • BBO - Bibliografia Brasileira de Odontologia
  • BVS – Biblioteca Virtual em Saúde
  • BIREME - Portal de Revistas Científicas em Ciências da Saúde
  • LATINDEX - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe
  • SEER - Diretório de Revistas Brasileiras em SEER
  • DIADORIM - Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras
  • PKP - Public Knowledge Project
  • SCHOLAR GOOGLE