Prevalência de cárie em crianças do ensino fundamental de Umuarama, Paraná

Andressa Juliana Martins Demeu, Larissa Pinheiro Viudes, Vanessa Rodrigues Nascimento, Leonardo Carlini Barbosa

Resumo


Os levantamentos epidemiológicos são de extrema importância para o conhecimento da prevalência da doença cárie, que revelam a realidade social, epidemiológica e principalmente o estado de saúde atual da população estudada e a eficácia dos serviços de saúde de um determinado local. Este trabalho teve por objetivo analisar a prevalência de cárie para a população de escolares do ensino fundamental da rede municipal de Umuarama /Paraná. Foram examinados 2.350 escolares com a faixa entre 6 e 11 anos. As faixas etárias foram divididas em dois grupos: 6-8 anos, a média CPO-D para este grupo foi 0,25. Com relação à faixa etária de 9 a 11 anos foi observado uma média para o CPO-D 0,6. Para a realização do ceo-d foram examinadas 193 escolares com a faixa etária de 5 anos e a média de ceo-d para este grupo foi de 1,08. Concluindo que a classificação da prevalência de cárie para o município de Umuarama, seguindo os parâmetros da OMS (1982), baseada na média do índice CPO-D para a faixa etária estudada foi classificada como muito baixa (0,0 a 1,1) e a média para o índice ceo-d foi considerada baixa  (1,08).

Descritores: Cárie Dentária; Criança; Epidemiologia.

Referências

  1. Narvai PC. Cárie dentária e flúor: uma relação do século XX. Ciênc saúde colet. 2000;5(2):381-92.
  2. Cortelli SC, Cortelli JR, Prado JS, Aquino DR, Jorge AOC. Fatores de risco a cárie e CPOD em crianças com idade escolar. Brasil. Ciênc Odontol Bras. 2004;7(2):75-82.
  3. Mialhe FL, Melo MM, Berti M, Dobrowolski M. Contribuição das ações de educação em saúde da disciplina de odontologia em saúde coletiva na consolidação das DCN e do SUS: relato de uma experiência. Arq Ciênc Saúde Unipar. 2007;11(3):193-97.
  4. Baldani MH, Vasconcelos AGG,  Antunes JLF. Associação do índice CPO-D com indicadores sócio-econômicos e de provisão de serviços odontológicos no Estado do Paraná, Brasil. Cad Saúde Pública. 2004;20(1):143-52
  5. Baldani MH, Antunes JLF, Pupo YM, Lawder JAC, Silva FFM. Determinantes individuais da utilização recente de serviços odontológicos por adolescentes e adultos jovens de baixa renda. Pesq Bras Odontoped Clin Integr. 2011;11(1):91-8.
  6. Ministério da Saúde. Brasil: Coordenação Nacional de Saúde Bucal. Condições de Saúde Bucal Da População Brasileira – Projeto SB Brasil 2003 - [Citado 2010 dez.]. Disponível em: HTTP://portal,saude.gov.br/saude/arquivos/pdf/relatorio_brasil_sorridente.pdf.
  7. Geus JL, Luca CMB, Baldani MH, Czlusniak GD. Prevalência de Cárie e Autopercepção da Condição de Saúde Bucal entre Crianças de Escolas Urbanas e Rurais de Ponta Grossa – PR. Pesq Bras Odontoped Clin Integr. 2013;13(1):111-17.
  8. Lazzarin HC, Sulzler KE, Kramer IV, Camargo JB. Prevalência de cárie dentária em crianças de uma instituição pública do município de Cascavel – PR, Brasil. Arquivos do MUDI. 2016;20(3):13-24.
  9. Vicente VA, Polleto MM, Neiva IF, Pinto JVT, Braga SF, Moreira M et al. Relação entre a prevalência da doença cárie e risco microbiológico. Cienc Odontol Bras 2008;11(2):44-8.
  10. Porcelli ICS, Partyka J, Matsuura E, Fracasso MLC, Maciel SM. Prevalência e Associação Entre Cárie Dentária e Má Oclusão em Adolescentes de Londrina, Paraná, Brasil. UNICIÊNCIAS. 2015;19(2):106-11.
  11. Baltazara MMM, Giordania MT, Furlanettoa DLC, Bertia M, Bianchia FJ. Levantamento das Condições de Saúde Bucal de Crianças e Adolescentes das Comunidades Rurais Atendidas em Unidade Móvel de Saúde no Oeste do Paraná. UNOPAR Cient Ciênc Biol Saúde. 2011;13(4):257-61.
  12. Amaral MA, Ruiz DT, Simm W, Pereira JS, Luiz MAF, Matsuo T. Desgaste Dentario: Estudo Epidemiológico em uma População de Cinco Anos de Sarandi, Paraná. Saúde e Pesquisa. 2008;1(2):151-56.
  13. Caldas C, Mialhe F, Silva R. Prevalência de manchas dentais extrínsecas negras e sua relação com a cárie dentária em crianças do município de Santa Terezinha de Itaipu – PR. RFO. 2008;13(2):22-6.
  14. Vicente VA, Polleto MM, Neiva IF, Pinto JVT, Braga SF, Moreira M. Relação entre a prevalência da doença cárie e risco microbiológico. Cienc Odontol Bras. 2008;11(2):44-8.
  15. Dubinski P, Cardoso SA, Hoeppner MG. Avaliação das Causas das Substituições de Restaurações nas Disciplinas de Dentística II e Clínica Integrada do Curso de Odontologia da UNIPAR - Campus Umuarama. UEPG Ci Biol Saúde. 2005;11(1):7-14.
  16. Berti M, Furlanetto DLC, Walker MMS, Baltazar MMM, Bianchi FJ. Levantamento epidemiológico de cárie dentária em escolares de 5 e 12 anos de idade do município de Cascavel, PR. Cad Saúde Colet. 2013;21(4):403-6.
  17. Castillo LO, Moro RC, Zanatta FB, Flores DM. Prevalência de cárie dentária nos alunos da Escola Municipal Adelmo Simas Genro, Santa Maria, RS: uma análise descritiva parcial. Dis Scientia. 2016;7(1):121-25
  18. Cangussu MCT, Lopes LS. Epidemiologia da Cárie Dentária no Estado da Bahia de 1986 a 2012. Rev baiana saúde pública. 2012;36(3):640-50.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21270/archi.v8i10.3820

Indexação em Base de Dados (Catálogo de Revistas Científicas)
  • BBO - Bibliografia Brasileira de Odontologia
  • BVS – Biblioteca Virtual em Saúde
  • BIREME - Portal de Revistas Científicas em Ciências da Saúde
  • LATINDEX - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe
  • SEER - Diretório de Revistas Brasileiras em SEER
  • DIADORIM - Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras
  • PKP - Public Knowledge Project
  • SCHOLAR GOOGLE