Experiência de cárie em crianças de 3 a 5 anos de idade em escolas públicas do município de Porto Velho-RO

Ana Giselle Aguiar Dias, Alberto Carlos Botazzo Delbem, Caio Sampaio, Egídio Bidô da Silva Neto, Gerson Soares Ribeiro, Juliano Pelim Pessan

Resumo


O objetivo deste estudo foi avaliar a experiência de cárie em crianças de 3-5 anos de idade, em escolas públicas de Porto Velho-RO, através dos índices epidemiológicos preconizados pela OMS (ceo-s e ceo-d). Crianças (­n=280) foram examinadas após escovação supervisionada, utilizando espátulas de madeira e sob iluminação artificial. O coeficiente kappa obtido (concordância interexaminador) foi de 0,95. Os índices ceo-s e ceo-d médios obtidos foram de 4,75 e 2,77, respectivamente, considerando todas as crianças, observando um aumento nestes índices de acordo com a idade. Em relação ao gênero, os índices correspondentes foram 5,01 e 2,71 para meninos e 4,54 e 2,82 para meninas. O componente “cariado” foi responsável por 98 e 90% dos índices ceo-s e ceo-d, respectivamente. Verificou-se alta incidência de cárie, sugerindo a necessidade de direcionar a esta população uma abordagem preventiva e curativa mais abrangente, com políticas de prevenção mais eficientes, atendendo às necessidades da população estudada.

Descritores: Cárie Dentária; Saúde Bucal; Criança; Índice CPO; Inquéritos Epidemiológicos.

Referências

  1. Sheiham A, James WPT. Diet and dental caries: the pivotal role of free sugars reemphasized. J Dent Res. 2015;94(10):1341-47.
  2. Moynihan PJ, Kelly SA. Effect on caries of restricting sugars intake: systematic review to inform WHO guidelines. J Dent Res. 2014;   93(1):8-18.
  3. Fraiz FC, Walter LRF. Study of the factors associated with dental caries in children who receive early dental care. Pesqui Odontol Bras. 2001;15(3):201-7.
  4. Silva PVD, Troiano JA, Nakamune ACMS, Pessan JP, Antoniali C. Increased activity of the antioxidants systems modulate the oxidative stress in saliva of toddlers with early childhood caries. Arch Oral Biol. 2016;70:62-6.
  5. Cortellazzi KL, Tagliaferro EPS, Assaf AV, Tafner APMF, Ambrosano GMB, Bittar TO et al. Influência de variáveis socioeconômicas, clínicas e demográfica na experiência de cárie dentária em pré-escolares de Piracicaba, SP. Rev bras epidemiol. 2009;12(3):490-500.
  6. Baldani MH, Narvai PC, Antunes JLF. Cárie dentária e condições sócio-econômicas no Estado do Paraná, Brasil. Cad Saúde Publica. 2002;18(3):755-63.
  7. Castilho ARF, Mialhe FL, Barbosa TS, Puppin-Rontani RM. Influence of family environment on children’s oral health: a systematic review. J Pediatr. 2013;89(2):116-23.
  8. Duarte JML. Higiene Oral e Prevalência de Cárie Dentária em Crianças e Adolescentes [dissertação]. Porto: Universidade Fernando Pessoa; 2014.
  9. BRASIL. Ministério da Saúde. SB Brasil 2010: Pesquisa Nacional de Saúde Bucal Resultados Principais. Brasília, 2011.
  10. Tommasi AF. Exame Clínico. Diagnóstico em Patologia Bucal. São Paulo:Pancast; 1989.
  11. Figueiredo PBA, Silva ARQ, Silva AI, Silva BQ. Perfil do atendimento odontopediátrico no setor de urgência e emergência da clínica odontológica do Centro Universitário do Pará – CESUPA. Arq Odontol, Belo Horizonte. 2013;49(2):88–95.
  12. Losso EM, Tavares MCR, Silva JYB da, Urban CA. Severe early childhood caries: an integral approach. J Pediatr. 2009;85(4):295-300.
  13. Cardoso L, Zembruski C, Fernandes DSC, Boff I, Pessin V. Avaliação da prevalência de perdas precoces de molares decíduos. Pesqui bras odontopediatria clín. integr. 2005;5(1):17-22.
  14. Silva RHA, Castro RFM, Cunha DCS, Almeida CT, Bastos JRM, Camargo LMA. Cárie dentária em população ribeirinha do Estado de Rondônia, Região Amazônica, Brasil, 2005/2006. Cad Saúde Publica. 2008;24(10):2347-53.
  15. Almeida DL, Nascimento DOR, Rocha ND, Dias AGA, Castro RFM, Closs PS. Avaliação da saúde bucal de pré-escolares de 4 a 7 anos de uma creche filantrópica. RGO Rev Gaúcha Odontol. 2011;59(2):271-75.
  16. Petersen PE, Lennon MA. Effective use of fluorides for the prevention of dentalcaries in the 21st century: the WHO approach. Community Dent Oral Epidemiol. 2004;32(5):319-21.
  17. BRASIL. Lei N° 6.050 de 24 de maio de 1974. Diário Oficial da União - Seção 1 - 27/5/1974, Página 6021.
  18. Antunes JLF, Narvai PC. Dental health policies in Brazil and their impact on health inequalities. Rev Saude Publica. 2010;44(2):360-65.
  19. Narvai PC, Frias AC, Fratucci MVB, Antunes JLF, Carnut L, Frazão P. Fluoretação da água em capitais brasileiras no início do século XXI: a efetividade em questão. Saúde debate. 2014;38(102):562-71.
  20. Peres MA, Traebert J, Marcenes W. Calibração de Examinadores para Estudos Epidemiológicos. Cad Saúde Pública. 2001;17(1)153-59.
  21. Frias AC. Estudo de Confiabilidade do Levantamento Epidemiológico de Saúde Bucal – Estado de São Paulo 1998 [dissertação]. São Paulo: Faculdade de Saúde Pública da USP; 2000.
  22. Landis, JR, Koch GG. The measurement of observer agreement for categorical data. Biometrics. 1977;33(1):159-74.
  23. Global goals for oral health in the year 2000. Federation Dentaire Internacionale. Int Dent J. 1982;32(1):74-7.
  24. Borges ESM, Toledo OA. A prevalência de carie em crianças de 0-5 anos: avaliação após cinco anos de um programa preventivo. Rev ABO nac. 1999;7(5):298-303.
  25. Walter RLF, Nakama R. Prevenção da cárie dentária através da identificação e controle dos fatores de risco em bebes – Parte I. J Bras Odontop Odontol Bebê. 1998;1(3):91-100
  26. Oliveira TM, Silva TC, Sakai VT, Prestes MP, Honorio HM, Magalhães AC et al. Comparação entre os índices ceos e ceos modificado em bebês e pré-escolares. Rev Odontol da Univ Cid São Paulo. 2008;20(2):128-33.
  27. Amaral RC, Hoffmann RHS, Cypriano S, Sousa MLR, Silva AAZ. Prevalência de            cárie e necessidades de tratamento em pré-escolares e escolares de Rafard – SP –Brasil. Cienc Odontol Bras. 2006;9(3):87-93.
  28. Moura MS, Santos-Pinto LAN, Giro EMA, Cordeiro RCL. Cárie dentária relacionada ao nível socioeconômico em escolares de Araraquara. Rev Odontol UNESP. 1996;25(1):97-107.
  29. Smith L, Blinkhorn A, Moir R, Brown N, Blinkhorn F. An assessment of dental caries among young Aboriginal children in New South Wales, Australia: a cross-sectional study. BMC Public Health. 2015;15:1314.
  30. Ardenghi TM, Piovesan C, Antunes JLF. Desigualdades na prevalência de cárie dentária não tratada em crianças pré-escolares no Brasil. Rev Saúde Pública. 2013;47(Suppl 3):129-37.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21270/archi.v8i3.3823

Indexação em Base de Dados (Catálogo de Revistas Científicas)
  • BBO - Bibliografia Brasileira de Odontologia
  • BVS – Biblioteca Virtual em Saúde
  • BIREME - Portal de Revistas Científicas em Ciências da Saúde
  • LATINDEX - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe
  • SEER - Diretório de Revistas Brasileiras em SEER
  • DIADORIM - Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras
  • PKP - Public Knowledge Project
  • SCHOLAR GOOGLE