Propriedades antimicrobianas da hortelã da folha miúda (Mentha X piperita) em bactérias da cavidade oral – revisão de literatura

Lara Danúbia Galvão de Souza, Jessika Paiva Medeiros, Ana Caroline Rodrigues, Júlia Kiara da Nóbrega Holanda, Aléxia Araújo Alencar, Lorena Layanne Pereira Custódio, Abrahão Alves de Oliveira Filho

Resumo


Introdução: A prática medicinal através da utilização de plantas medicinais é uma das formas mais antigas para o tratamento terapêutico. Com o advento da industrialização essa prática foi um pouco esquecida, mas atualmente há uma volta pela procura desses medicamentos fitoterápicos. O uso da fitoterapia em odontologia ainda é pouco explorado, mas existem pesquisas científicas sobre os efeitos antimicrobiano, analgésico e antinflamatório de algumas espécies, entre elas a Mentha x piperita, conhecida como hortelã da folha miúda, hortelã-pimenta, hortelã de cheiro, hortelã de panela. Originária da Europa e trazida para o Brasil no período da colonização, onde o seu extrato apresenta principalmente propriedades antimicrobianas. Objetivo: Este trabalho tem como objetivo realizar uma revisão bibliográfica sobre as propriedades fitoterápicas da planta hortelã da folha miúda (Mentha x piperita) em bactérias da cavidade oral.  Metodologia: Trata-se de uma revisão narrativa de literatura. Os dados foram coletados durante o mês de setembro de 2018 nas plataformas Google Acadêmico, SciELO, e PubMed utilizando os descritores:Mentha x piperita, fitoterapia e odontologia, durante os períodos de 2000 a 2018. Um total de três artigos preencheu os critérios de elegibilidade e, portanto, foram selecionados e analisados. Resultados: Os extratos de Mentha x piperitaapresentaram uma atividade moderada contra S. sobrinus e a atividade contra S. mutans da planta fresca é relativamente promissora. Estudos mostraram acentuada atividade inibitória frente ao biofilme formado por S. mutans, sendo essa atividade superior à clorexidina, tanto in vitro quanto in vivo. Além disso, apresentou também Concentração Bactericida Mínima (6000 ppm) inferior à clorexidina (8000 ppm), sobre o mesmo microrganismo. Outras pesquisas também mostraram que Candidaalbicans é uma espécie que apresenta grande sensibilidade ao óleo essencial de Mentha x piperita. Conclusão: A Mentha x piperita pode ser empregada na terapia complementar dentro da odontologia, já que demonstra o potencial antibacteriano esperado.

Texto completo:

PDF


Indexação em Base de Dados (Catálogo de Revistas Científicas)
  • BBO - Bibliografia Brasileira de Odontologia
  • BVS – Biblioteca Virtual em Saúde
  • BIREME - Portal de Revistas Científicas em Ciências da Saúde
  • LATINDEX - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe
  • SEER - Diretório de Revistas Brasileiras em SEER
  • DIADORIM - Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras
  • PKP - Public Knowledge Project
  • SCHOLAR GOOGLE