As atribuições do fisioterapeuta do Núcleo Ampliado a Saúde da Família e Atenção Básica no município de Lucena-PB

Luiz Paulo Vicente Freire, Weslley Barbosa Sales, Daniella de Souza Barbosa, Jairo Domingos de Morais

Resumo


Objetivo: analisar a atuação do fisioterapeuta no NASF-AB no município de Lucena-PB. Material e método: Trata-se de uma pesquisa de campo cuja coleta de dados foi feita pela aplicação de dois questionários a uma amostra - por conveniência - composta por cinco fisioterapeutas que atuavam no NASF- AB no município de Lucena-PB por no mínimo seis meses. Resultados: Foi identificado que 100% dos profissionais cumprem a carga horária exigida pelos profissionais do NASF-AB da modalidade 1 e que 60% desenvolvem todas as atividades cabidas ao fisioterapeuta do NASF- AB no município como atendimento domiciliar, atendimento ambulatorial na unidade mista de saúde e atividades educativas em saúde promovidas nos equipamentos sociais do território (unidades básicas de saúde e escolas públicas). Conclusão: Os fisioterapeutas que atuam no NASF-AB 1 da referida cidade litorânea paraibana têm desenvolvido ações de saúde como atividades domiciliares e ambulatoriais, atividades em grupo, atividades educativas em equipe. O processo de trabalho dos fisioterapeutas que atuam no NASF-AB pode contribuir para transformar a prática profissional no nível de Atenção Básica, ampliando suas competências e habilidades na atuação interdisciplinar e desenvolvimento de ações de prevenção de doenças e promoção à saúde nos territórios.

Descritores: Atenção Primária à Saúde; Saúde Pública; Fisioterapia.

Referências

  1. David MLO, Ribeiro MAGO, Zanolli ML, Mendes RT, Assumção MS, Schinviski CIS. Proposta de atuação da fisioterapia na saúde da criança e do adolescente: uma necessidade na atenção básica. Saúde debate. 2013;37(96):120-29.
  2. Neves LMT, Aciole GG. Desafios da integralidade: revisitando as concepções sobre o papel do fisioterapeuta na equipe de Saúde da Família. Interface (Botucatu). 2011;15(37):551-64.
  3. Barbosa EG, Ferreira DLS, Furbino, SAR. Experiência da fisioterapia no Núcleo de Apoio à Saúde da Família em Governador Valadares, MG. Fisioter mov. 2010;23(2):86-95.
  4. Formiga NFB, Ribeiro KSQS. Inserção do fisioterapeuta na Atenção Básica: uma Analogia entre Experiências Acadêmicas e a Proposta dos Núcleos de Apoio à Saúde da Família (NASF). Rev bras ciênc saúde, 2012;16(2):113-22.
  5. Ribeiro CD, Flores-Soares MC. Desafios para a inserção do fisioterapeuta na atenção básica: o olhar dos gestores. Rev Salud Pública, 2015;17(3):379-93.
  6. Rodrigues F, Bitencourt LTG. Atuação da Fisioterapia no Programa de Residência Multiprofissional. Rev Programa de Residência Multiprofissional em Atenção Básica/Saúde da Família. 2013;1:42-52.
  7. Aveiro MC, Aciole GG, Driusso P, Oish J. Perspectivas da participação do fisioterapeuta no Programa Saúde da Família na atenção à saúde do idoso. Ciênc saúde coletiva. 2011;16(Suppl 1):1467-78.
  8. Souza MC, Araújo TM, Reis Júnior WM, Souza JN, Vilela ABA, Franco TB. Integralidade na atenção à saúde: um olhar da equipe de saúde da família sobre a fisioterapia. Mundo saúde. 2012;36(3):452-60.
  9. Augusto VG, Aquino CF, Machado NC, Cardoso VA, Ribeiro S. Promoção de saúde em unidades básicas: análise das representações sociais dos usuários sobre a atuação da fisioterapia. Ciênc saúde coletiva. 2011;16(Suppl 1):957-63.
  10. Carvalho STRF, Caccia-Bava, MCGG. Conhecimentos dos usuários da Estratégia Saúde da Família sobre a fisioterapia. Fisioter mov. 2017;24(4):655-64.
  11. Loures LF, Silva MCS. A interface entre o trabalho do agente comunitário de saúde e do fisioterapeuta na atenção básica à saúde. Ciênc saúde coletiva. 2010;15(4):2155-64.
  12. Bispo Júnior JP. Fisioterapia e saúde coletiva: desafios e novas responsabilidades profissionais. Ciênc saúde coletiva. 2010;15(Suppl 1):1627-36.
  13. Maciel MS, Coelho MO, Marques LARV, Rodrigues Neto EM, Lotif MAL, Ponte ED. Ações de saúde desenvolvidas pelo núcleo de apoio à saúde da família-NASF. Saúde (Santa Maria). 2015;41(1):117-22.
  14. Oliveira AKP, Borges DF. Programa de Saúde da Família: uma avaliação de efetividade com base na percepção de usuários. Rev Adm Pública. 2008;42(2):369-89.
  15. Oliveira G, Andrade ES, Santos ML, Matos GSR. Conhecimento da equipe de saúde da família acerca da atuação do fisioterapeuta na atenção básica. Rev Bras Promoç Saúde (Fortaleza). 2011;24(4):332-39.
  16. Salinero JG. Estudos descriptivos. Nure Investigación. 2004;7.
  17. Fernandes TL, Nascimento CMB, Sousa FOS. Análise das atribuições dos fonoaudiólogos do NASF em municípios da região metropolitana do Recife. Rev CEFAC. 2013;15(1):153-59.
  18. Souza FLD. Implantação do Núcleo de Apoio à Saúde da Família: percepção do usuário. Saúde debate. 2013;37(97):233-40.
  19. Souza MC, Bomfim AS, Souza JN, Franco TB. Fisioterapia e Núcleo de Apoio à Saúde da Família: conhecimento, ferramentas e desafios. Mundo saúde; 2013;37(2):176-84.
  20. Castro PC. Papel do fisioterapeuta na universidade aberta da terceira idade de São Carlos. Estud interdiscipl envelhec. 2014;19(1):287-305.
  21. Dias RC. Atenção básica à saúde do idoso no Brasil: limitações e desafios. Geriatria & Gerontologia. 2008;3(2):122-25.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21270/archi.v9i1.4928

Indexação em Base de Dados (Catálogo de Revistas Científicas)
  • BBO - Bibliografia Brasileira de Odontologia
  • BVS – Biblioteca Virtual em Saúde
  • BIREME - Portal de Revistas Científicas em Ciências da Saúde
  • LATINDEX - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe
  • SEER - Diretório de Revistas Brasileiras em SEER
  • DIADORIM - Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras
  • PKP - Public Knowledge Project
  • SCHOLAR GOOGLE