O suicídio: uma reflexão sobre medidas preventivas

Camila Mazza da Silva, Victor Colucci Neto

Resumo


No presente artigo serão trazidos à baila algumas questões relacionadas ao suicídio, sobretudo com relação aos métodos preventivos. Nesse contexto, será abordado o disposto pela OMS, que reconheceu o suicídio como sendo uma prioridade de saúde pública. Em decorrência, publicou em 2014 o primeiro Relatório Mundial de Suicídio da OMS “Prevenção do suicídio: um imperativo global”, cujo objetivo seria aumentar a conscientização sobre a importância da saúde pública para as tentativas de suicídio e suicídio, fazendo da prevenção ao suicídio uma alta prioridade na agenda global em termos de saúde pública. No mais, além do disposto pela OMS, será discorrido a respeito da prevenção ao suicídio sob a perspectiva da importância da família, salientando-se para o uso e influência das tecnologias, a busca pelo sentido da vida e a valorização da autoestima em crianças e adolescentes. Para tanto, será realizada pesquisa bibliográfica em livros, revistas, textos e artigos científicos.

Descritores: Suicídio; Prevenção & Controle; Saúde Pública.

Rferências

  1. Guia Intersetorial de Prevenção do Comportamento Suicida em Crianças E Adolescentes; 2019.
  2. Kovacs MJ. Morte e desenvolvimento humano. São Paulo: Casa do Psicólogo; 1992.
  3. Rocha GMA. Condutas autolesivas: uma leitura pela Teoria do Apego. Rev Bras Psicologia. 2015;2(01):62-70.
  4. OMS. Organização Mundial de Saúde. Prevenção do suicídio um recurso para conselheiros. Departamento de Saúde Mental e de Abuso de Substâncias. Gestão de Perturbações Mentais e de Doenças do Sistema Nervoso. Genebra; 2006.p.9-11.
  5. Durkheim E. O Suicídio. estudo de Sociologia. São Paulo: Martins Fontes; 2000.
  6. Franco M. Após experiências familiares, psicóloga vira 'suicidologista' para prevenir casos. Folha de S. Paulo, São Paulo, 29 out. 2018. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2018/10/apos-experiencias-familiares-psicologa-vira-suicidologista-para-prevenir-casos.shtml>.  Acesso em: 02 fev. 2020.
  7. WHO. World Health Organization. Suicide. Geneva; 2019. Disponível em: <https://www.who.int/news-room/fact-sheets/detail/suicide>. Acesso em: 13 jan. 2020.
  8. WHO. World Health Organization. Comprehensive mental health action plan 2013–2020. Geneva; 2013. Disponível em: <https://www.who.int/mental_health/action_plan_2013/en/>. Acesso em: 13 jan. 2020.
  9. Botega NJ. Comportamento suicida: epidemiologia. Psicologia USP. 2014;25(3):231-36.
  10. Brasil. Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. O suicídio e a automutilação tratados sob a perspectiva da família e do sentido da vida. 2019. p. 1-42.
  11. Moraes, FT. Depressão em adolescentes cresce impulsionada por uso de redes sociais. Folha de S. Paulo, São Paulo, 5 nov. 2018. Disponível em: <https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2018/11/depressao-em- adolescentes-cresce-impulsionada-por-uso-de-redes-sociais.shtml>. Acesso em: 01 fev. 2020.
  12. University of Michigan Health System. Pediatricians update digital media recommendations for kids. ScienceDaily. 2016. Disponível em: < https://www.sciencedaily.com/releases/2016/10/161021093834.htm>. Acesso em: 20 jan. 2020.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21270/archi.v9i1.4996

Indexação em Base de Dados (Catálogo de Revistas Científicas)
  • BBO - Bibliografia Brasileira de Odontologia
  • BVS – Biblioteca Virtual em Saúde
  • BIREME - Portal de Revistas Científicas em Ciências da Saúde
  • LATINDEX - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe
  • SEER - Diretório de Revistas Brasileiras em SEER
  • DIADORIM - Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras
  • PKP - Public Knowledge Project
  • SCHOLAR GOOGLE