EFETIVIDADE DE PROTOCOLOS FÍSICOS, MECÂNICOS, QUÍMICOS E COMBINADOS DE HIGIENIZAÇÃO PARA PRÓTESES TOTAIS EM PACIENTES HOSPITALIZADOS

  • Gabriela de Arruda Ribeiro
  • Anna Clara Gurgel Gomes
  • Janaína Gomes Maciel
  • Amanda Aparecida Maia Neves Garcia
  • Letycia Accioly Simões Coelho
  • Karin Hermana Neppelenbroek
Palavras-chave: Prótese Total, Biofilmes, Higienizadores

Resumo

O biofilme protético é um potencial reservatório de patógenos respiratórios, o que aumenta consideravelmente o risco de infecções pulmonares em indivíduos debilitados, sobretudo 48h após a hospitalização. Esse estudo objetivou avaliar a efetividade de diferentes protocolos de higienização na redução do biofilme de próteses totais superiores (PTS) de pacientes hospitalizados. PTS de indivíduos internados no Hospital da Beneficência Portuguesa de Bauru foram limpas aleatoriamente, utilizando um dos protocolos a seguir, antes de serem imersas em água estéril por 3 min para enxágue (n=10): ESC/CD (Controle 1)-escovação com creme dental por 2 min (Colgate total 12); ESC/AD (Controle 2)-escovação da PTS com água destilada estéril por 2 min; MICRO-irradiação em micro-ondas (650W/3min), ESC+MICROescovação com água seguida da irradiação (650W/3min), HIP-imersão em solução de hipoclorito de sódio a 1% (NaClO) por 10 min ou ESC/HIP-escovação com água, seguida da imersão NaClO a 1% por 10 min. Antes e após os protocolos, culturas micológicas quantitativas foram obtidas com swab oral da região interna das PTS. Diluições seriadas resultantes (10-1 a 10-9 ) foram plaqueadas em ágar sangue a 37°C por 48h (5 %CO2) e as colônias viáveis contadas. Os dados (log10UFC/mL) foram analisados por testes de Wilcoxon e Kruskal-Wallis (α=0,05). Houve redução estatisticamente significante nas contagens de colônias viáveis após a aplicação de qualquer um dos protocolos testados (P0,05). Uma única desinfecção por micro-ondas e/ou imersão em NaClO a 1% se mostraram como alternativas viáveis, rápidas, de custo acessível e efetivas na redução do biofilme protético, podendo minimizar o risco de infecções respiratórias advindas das próteses e, também, o tempo de internação.

(CEP/CAAE: 92314318.1.0000.5417)

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-01-28
Como Citar
Ribeiro, G. de A., Gomes, A. C. G., Maciel, J. G., Garcia, A. A. M. N., Coelho, L. A. S., & Neppelenbroek, K. H. (2021). EFETIVIDADE DE PROTOCOLOS FÍSICOS, MECÂNICOS, QUÍMICOS E COMBINADOS DE HIGIENIZAÇÃO PARA PRÓTESES TOTAIS EM PACIENTES HOSPITALIZADOS. ARCHIVES OF HEALTH INVESTIGATION, 10, 15. Recuperado de https://archhealthinvestigation.com.br/ArcHI/article/view/5326