Agentes Comunitários de Saúde: perspectivas, atividades preventivas e vigilância em saúde bucal da criança

André Luiz Marçal Terreri, Daniela Pereira Lima, Danielle Portinho, Mariângela Monteiro de Melo Baltazar, Marina Berti

Resumo


Introdução: O profissional Agente Comunitário de Saúde (ACS) surgiu na década de 90 com o objetivo de desenvolver atividade de prevenção de doenças e promoção de saúde junto aos domicílios da comunidade na qual atua. Dentre as suas ações, os ACS têm um papel importante na divulgação de informações sobre a saúde bucal. Objetivo: Descrever a percepção e atuação dos ACS, em relação à saúde bucal nas Unidades de Saúde da Família do município de Francisco Beltrão-PR. Método: A pesquisa foi realizada na forma de investigação de campo por abordagem quantitativa. Um questionário estruturado foi aplicado à 56 ACS pertencentes a 09 unidades de saúde com Equipes de Saúde Bucal (ESBs). Resultados: Raramente os ACS realizam atividades preventivas e de vigilância à saúde bucal durante suas visitas domiciliares. Destes, 71,4% nunca receberam capacitação e demonstraram baixo conhecimento sobre cárie, gengivite e fluorose dentária. Outros 58,9% nunca receberam acompanhamento da ESB em visitas domiciliares. Conclusão: Os resultados demonstram que a ESB pouco se articula com o trabalho dos agentes comunitários, dificultando mudanças no modelo de atenção à saúde bucal ofertado na estratégia de saúde da família do município.

Descritores: Promoção da Saúde; Saúde Bucal; Agentes Comunitários de Saúde; Educação em Saúde; Saúde da Família.


Texto completo:

PDF

Referências


Andrade LOM, Barreto ICHC, Goya N, Martins-Jr T. Organização da atenção básica e Estratégia Saúde da Família no município de Sobral - Ceará - Brasil: principais avanços e desafios na perspectiva de produzir mudanças positivas na saúde. In: Seclen J, Fernandes AS, organizadores. Experiências e desafios da atenção básica e saúde familiar: caso Brasil. Brasília: OPAS; 2004. p.143-79. (Serie técnica Projeto de Desenvolvimento de Sistemas e Serviços de Saúde, 8). Acesso em: 06 de outubro de 2016. Disponível em: http://new.paho.org/hq/dmdocuments/2010/ap_Atencion_Primaria_Salud_Familiar-Brasil.pdf

Viana ALA, Poz MRD. A reforma do sistema de saúde no Brasil e o programa de Saúde da Família. PHYSIS: Rev Saúde Coletiva. 2005; 15(Supl.):S225-64.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria nº 1.444, 28 de dezembro de 2000. Estabelece incentivo financeiro para a reorganização da atenção à saúde bucal prestada nos municípios por meio do Programa de Saúde da Família. Diário Oficial da República Federativa do Brasil. Brasília, DF. 29 de dezembro 2000. Acesso em: 06 de outubro de 2016. Seção 1, (85) disponível em: www.mp.go.gov.br/portalweb/hp/2/docs/portaria1444_28_12_00.pdf

Brasil. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Diretrizes curriculares nacionais do curso de Graduação em Odontologia. Diário Oficial da União, Brasília, 2002;1:10.

Freitas SFT, Calvo MCM, Lacerda JT. Saúde coletiva e novas diretrizes curriculares em odontologia: uma proposta para graduação. Trab Educ Saúde. 2012; 10(2):223-34.

Morita MC, Kriger L. Mudanças nos cursos de Odontologia e a interação com o SUS. Rev Abeno. 2004; 4(1):17-21.

Brasil. Ministério da Saúde. Ministério da Educação. A aderência dos cursos de graduação em enfermagem, medicina e odontologia às diretrizes curriculares nacionais / Ministério da Saúde, Ministério da Educação. - Brasília: Ministério da Saúde, 2006. 162 p.: il. - (Série F. Comunicação e Educação em Saúde).

Baldani MH, Fadel CB, Possamai T, Queiroz MGS. A inclusão da odontologia no Programa Saúde da Família no Estado do Paraná, Brasil. Cad Saúde Pública. 2005; 21(4):1026-35.

Souza DS, Cury JA, Caminha JAN, Ferreira MA, Tomita NE, Narvai PC. A Inserção da saúde bucal no Programa de Saúde da Família. Rev Bras Odontol. 2001; 2(2):7-29.

Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Saúde bucal. Brasília: Ministério da Saúde; 2006. 92p. (Cadernos de Atenção Básica; 17) (Série A. Normas e Manuais Técnicos). Acesso em 13 de outubro de 2016. Disponível em: http://189.28.128.100/dab/ docs/publicacoes/cadernos_ab/abcad17.pdf

Frazão P, Marques DSC. Influência de agentes comunitários de saúde na percepção de mulheres e mães sobre conhecimentos de saúde bucal. Cien Saúde Colet. 2006; 11(1):131-44.

Terreri ALM, Ribeiro MTF, Barbosa PRA, Lisboa SGS, Marconi PMC. A percepção dos agentes comunitários sobre a saúde bucal das crianças e o desenvolvimento das ações preventivas. Rev Paul Odontol. 2011; 33:45-51.

Moura MS, Carvalho CJ, Amorim JTC, Marques MFSS, Moura LFAD, Mendes RF. Perfil e práticas de saúde bucal do agente comunitário de saúde em municípios piauienses de pequeno porte. Cien Saúde Colet. 2010; 15(1):1487-95.

Pires ROM, Neto FL, Lopes JB, Bueno SMV. O conhecimento dos agentes comunitários sobre saúde bucal: uma perspectiva sobre deficiências em educação no PSF. Cienc Cuid Saúde. 2007; 6(3):325-34.

Mockdeci HR, Souza TS, Rodrigues CM, Leite ICG. Capacitação em saúde bucal de Agentes Comunitários em Juiz de Fora- MG: a efetividade do programa. HU Revista. 2013; 39(3/4):45-52.

Koyashiki GAK, Alves-Souza RA, Garanhani ML. O trabalho em saúde bucal do Agente Comunitário de Saúde em Unidades de Saúde da Família. Cien. Saúde Colet. 2008; 13(4):1343-54.

Levy FM, Matos PES, Tomita NE. Programa de agentes comunitários de saúde: a percepção de usuários e trabalhadores da saúde. Cad. Saúde Pública. 2004; 20(1):197-203.

Brasil. Ministério da Saúde. Projeto SB Brasil 2010: Pesquisa Nacional de Saúde Bucal – resultados principais. Brasília: Ministério da Saúde; 2011. Disponível em: http://dab.saude.gov.br/CNSB/ sbbrasil/arquivos/projeto_sb2010_relatorio_final.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Departamento de Atenção Básica. Projeto SB Brasil 2003: condições de saúde bucal da população brasileira 2002-2003: resultados principais. Brasília: Ministério da Saúde, abril, 2004. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/ publicacoes/condicoes_saude_bucal.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia prático do agente comunitário de saúde / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – Brasília: Ministério da Saúde, 2009. Disponível em: http://dab.saude.gov.br/docs/ publicacoes/geral/guia_acs.pdf

Cardoso ACC, Santos Jr RQ, Souza LEP, Barbosa MBCB. Inserção da equipe de saúde bucal no PSF: um desafio para a melhoria da qualidade de atenção à saúde. Rev Baiana Saúde Públ. 2002; 26(1-2):94-8.

Moura MS, Carvalho CJ, Amorim JTC, Marques MFSS, Moura LFAD, Mendes RF. Perfil e práticas de saúde bucal do agente comunitário de saúde em municípios piauienses de pequeno porte. Ciên Saúde Colet. 2010; 15(1):1487-95.

Hayacibara MF, Lolli LF, Terada RSS, Hidalgo MM, Bispo CGC, Terada HH, et al.. Experiência de clínica ampliada em odontologia na Universidade Estadual de Maringá. Rev Bras Educ Med. 2012; 36(1,Suppl 2):178-83.




DOI: http://dx.doi.org/10.21270/archi.v6i5.2062

Indexação em Base de Dados (Catálogo de Revistas Científicas)
  • BBO - Bibliografia Brasileira de Odontologia
  • BVS – Biblioteca Virtual em Saúde
  • BIREME - Portal de Revistas Científicas em Ciências da Saúde
  • LATINDEX - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe
  • SEER - Diretório de Revistas Brasileiras em SEER
  • DIADORIM - Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras
  • PKP - Public Knowledge Project
  • SCHOLAR GOOGLE