Efeito da mepivacaína 2% nos parâmetros cardiovasculares em cirurgias de terceiros molares

Herlania Silva Freire, Roque Soares Martins Neto, Felipe Evangelista Verissimo, Pedro Henrique Acioly Guedes Peixoto Vieira, Paulo Goberlânio de Barros Silva, Diego Felipe Silveira Esses, Andressa Aires Alencar

Resumo


Ao serem administrados, os Anestésicos Locais e Vasoconstritores (VC) iniciam os processos de absorção e eliminação, passando pela circulação sanguínea podendo atingir níveis tóxicos ou induzir alterações cardiovasculares. Objetivou-se avaliar o comportamento da atividade cardiovascular nas cirurgias para a remoção de terceiros molares utilizando a mepivacaína 2% com adrenalina na concentração de 1:100.000 em um período de até 120 min após a injeção anestésica. Trata-se de um estudo longitudinal, interventivo com caráter quantitativo e descritivo, com dados mensuráveis para análise e interpretação, realizado com pacientes da disciplina de clínica cirúrgica do curso de odontologia da UniCatólica. Os resultados obtidos foram analisados através do teste de normalidade de Kolmogorov-Smirnov e comparados ao longo do trans-operatório pelos testes ANOVA para medidas repetidas seguidas do pós-teste de Bonferroni ou Friedman seguido do pós-teste de Dunn adotando um nível de 5% de significância (p < 0,05). O procedimento com o anestésico utilizado não provocou alterações na Pressão Arterial Sistólica (PAS) (p=0,712), Pressão Arterial Diastólica (PAD) (p=0,098) bem como da diferença de PAS e PAD (p=0,546). Na Frequência Cardíaca (FC) houve diferença significante nos tempos de 10 min (p=0,013) e 120 min (p=0,013). Já na Saturação Periférica O2 (SPO2) houve diferença estatística significante nos tempos da 1ª visita (p=0,001), 0 (p=0,001), 5 (p=0,001) e 20 (p=0,001). Conclui-se assim, que o anestésico local pode ser utilizado em pacientes normotensivos durante a realização de procedimentos cirúrgicos odontológicos, e este leve aumento na FC e SPO2pode estar relacionado à ansiedade e/ou ao estresse emocional dos pacientes.

Descritores: Anestésicos Locais; Mepivacaína; Sistema Cardiovascular; Pressão Arterial. 

Referências

  1. Andrade ED. Terapêutica Medicamentosa em Odontologia. 3. ed. São Paulo: Artes Médicas; 2014.
  2. Teixeira RN. Anestesia Local sem Vasoconstritor versus com Vasoconstritor. Porto: Faculdade de Ciências da Saúde; 2014.
  3. Malamed SF. Manual de Anestesia Local. 5ª. ed. São Paulo: Elsevier; 2004.
  4. Silvestre FJ, Verdu MJ, Sanchis JM, Grau D, Penarrocha M. Effects of vasoconstrictors in dentistry upon systolic and diastolic arterial pressure. Medicina Oral. 2001;6(1):57-63.
  5. Ponzoni D, Sanches MG, Okamoto T. Influência de solução anestésica local contendo mepivacaína no processo de reparo em feridas de extração dental: análise histológica em ratos. Rev ABO. 2003;11(5):287-92.
  6. Dicionário de Especialidades Farmacêuticas, 2004/05. 33. ed. Rio de Janeiro: Editora de Publicações Científicas; 2004.
  7. Frabett IL, Checchi L, Finelli K. Cardiovascular effects of local anesthesia with epinephrine in periodontal treatment. Quintessence Int. 1992;23(1):19-24.
  8. Lambrecth JT, Filippi A. Arrigoni J, Cardiovascular monitoring and its consequences in oral surgery. Ann Maxillofac Surg. 2011;1(2):102-6.
  9. Fukayama H, Yagiela J. A. Monitoring of vital signs during dental care. Int Dent J. 2006;56(2):102-8.
  10. Dantas MVM, Gabrielli MAC, Hochuli-Vieira E. Efeito da mepivacaína 2% com adrenalina 1:100.000 sobre a pressão sanguínea. Rev Odontol Unesp. 2008;37(3):223-27.
  11. Nichols C. Dentistry and hipertension. J Am Dent Assoc. 1997;128(11):1557-62.
  12. Zottis D, Bernardes R, Wannmacher L. Efeito de vasoconstritor usado em anestesia local sobre a PA sistêmica e FC durante o atendimento odontológico. Rev ABO. 1999; 7:289-93.
  13. Neves RS, Neves IL, Giorgi DM, Grupi CJ, César LA, Hueb W et al. Effects of epinephrine in local dental anesthesia in patients with coronary artery disease. Arq Bras Cardiol. 2007; 88(5):545-51.
  14. Laragnoit AB, Neves RS, Neves IL, Vieira JE. Locoregional anesthesia for dental treatment in cardiac patients: a comparative study of 2% plain lidocaine and 2% lidocaine with epinephrine (1:100,000). Clinics. 2009;64(3):177-82.
  15. Silvestre FJ, Salvador-Martínez I, Bautista D, Silvestre-Rangil J. Clinical study of hemodynamic changes during extraction in controlled hyperten- controlled hypertensive patients. Med Oral Patol Oral Cir Bucal. 2011;16(3):e354-58.
  16. Dutra RM. Saturação periférica de oxigênio, frequência cardíaca e pressão arterial sistêmica em crianças portadoras de cardiopatia congênita cianogênica com hipofluxo pulmonar durante procedimento odontológico [tese].  São Paulo: Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo/Programa de Pneumologia; 2012.
  17. Braga AFA, D’Ottaviano LH, Braga FSS, Morais SS. Extração de terceiros molares retidos sob anestesia local. Avaliação de ansiedade, dor, alterações hemodinâmicas e respiratórias. Rev Fac Odontol Porto Alegre. 2010;51(2):9-14.
  18. Prado RMS. Efeitos cardiovasculares da mepivacaína com epinefrina seguida hialuronidase: ensaio duplo-cego controlado em cirurgias bilaterais de terceiros molares inferiores [dissertação]. São Paulo: Faculdade de Odontologia da USP; 2007.
  19. Alemany-Martinez A, Valmaseda-Castellón E, Berini-Aytés L, Gay-Escoda C. Hemodynamic changes during the surgical removal of lower third molars. J. Oral Maxillofac. Surg. 2008;66(3):453-61.
  20. Paramaesvaran M, Kingon AM. Alterations in blood pressure and pulse rate in exodontia patients. Aust Dent J. 1994;39(5):282-86.
  21. Sociedade Brasileira de Anestesiologia. Tutorial de Anestesia da Semana - Oximetria de Pulso – parte 1. WILSON, Iain. Royal Devon & Exeter Hospital, UK, 2013. Disponível em: <http://grofsc.net/wp/wp-content/uploads/ 2013/ 03/Oximetria-de-pulso-parte-11.pdf>. Acesso em: 22 de novembro, 2016.
  22. Tolas AG, Pflug AE, Halter JB. Arterial plasma epinephrine concentrations and hemodynamic responses after dental injection of local anesthetic with epinephrine. J Am Dent Assoc.1982;104(1):41-3.
  23. Brand HS, Abraham-Inpijn L. Cardiovascular responses induced by dental treatment. Eur J Oral Sci.1996;104(3):245-52.
  24. Takahashi Y, Nakano M, Kanri KST. The effects of epinephrine in local anesthetics on plasma catecholamine and hemodynamic responses. Odontology.2005;93(1):72-9.
  25. Muzyka BC, Glick M. The hypertensive dental patient. J Am Dent Assoc.1997;128(8):1109-20.
  26. Báguena JC, Chiva F. Efectos de los anestésicos de uso odontológico sobre la presión arterial y la frecuencia cardíaca. Rev Eur Odontoestomatol. 1999;1(5):291-95.
  27. Eyigor C, Cagiran E, Balcioglu T, Uyar M. Comparação dos efeitos de remifentanil e remifentanil + lidocaína em intubação de pacientes intelectualmente deficientes. Rev Bras Anestesiol. 2014;64(4):263-68.
  28. Pavan MV, Saura GE, Korkes HÁ, Nascimento KM, Neto NMN, Dávila R, Rodrigues CIS, Almeida FA. Similaridade entre os valores da pressão arterial aferida pelo método auscultatório com aparelho de coluna de mercúrio e o método oscilométrico automático com aparelho digital. J Bras Nefrol. 2012;34(1):43-9.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.21270/archi.v8i2.3271

Indexação em Base de Dados (Catálogo de Revistas Científicas)
  • BBO - Bibliografia Brasileira de Odontologia
  • BVS – Biblioteca Virtual em Saúde
  • BIREME - Portal de Revistas Científicas em Ciências da Saúde
  • LATINDEX - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe
  • SEER - Diretório de Revistas Brasileiras em SEER
  • DIADORIM - Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras
  • PKP - Public Knowledge Project
  • SCHOLAR GOOGLE