Apendicite aguda em paciente idoso: relato de caso

Heitor Rubio Verginio, Amanda Oliva Spaziani, Arlindo Mariano de Araújo Neto, Geisa Peixoto Cardoso, Trícia Aline Ribeiro Pattini de Souza, Gustavo Rivelli Lamboglia, Rodrigo João Lopes Taveiros, Marcos Rogério Marques, Ana Carolina Borges Gorga, Márcio Vinicius Dores Renesto, Leonardo Faidiga, Pedro Gomes Barbosa Junior

Resumo


O apêndice vermiforme é um órgão tubular de fundo cego que se origina da parede do ceco. A apendicite é a causa mais comum de dor abdominal aguda e requer intervenção cirúrgica. Paciente masculino, 70 anos, com queixa de dor abdominal difusa tipo cólica de início há 3 dias e há 2 dias relata parada da evacuação e flatos. Durante o exame abdominal constatou-se abdome plano, levemente distendido, com ruídos hidroaéreos presentes, hipertimpânico à palpação, doloroso a palpação de forma difusa, com sinal de Rovsing positivo. Os sinais de Blumberg, Dunphy, Lapinsky, Iliopsoas Obturador, Giordano e Murphy negativos. Ao Toque retal, próstata ligeiramente aumentada. Aos exames laboratoriais: hemograma com leucocitose. Aos exames de imagem raio-x de abdome agudo, tomografia de abdome total e transito intestinal: distensão gasosa de alças intestinais com níveis hidroaéreos e ausência de líquido livre. Submetido a laparatomia exploratória que evidenciou distensão de intestino delgado e afunilamento de cólons transverso, descendente e sigmoide com apêndice cecal supurado grau 5 e grande quantidade de aderências em alças intestinais. Realizada apendicectomia e iniciada antibioticoterapia de amplo expectro. Obteve alta hospitalar após melhora da distensão e quadro infeccioso. A apendicite é normalmente uma condição patológica de jovens. Entretanto, o aumento da expectativa de vida tornou a ocorrência de apendicite aguda em pacientes idosos mais comum.  A mortalidade da apendicite aguda no paciente idoso é mais elevada. Dessa forma, pacientes idosos apresentam pior prognostico, maior tempo de evolução da doença, maior permanência no hospital e mais casos de perfuração.

Descritores: Apendicite; Abdome Agudo; Idoso.

Referências

  1. Tamburrini S, Brunetti A, Brown M, Sirlin CB, Casola G. CT appearance of the normal appendix in adults. Eur radiol. 2005;15(10):2096-103.
  2. Santos F, Cavasana GF, Campos T. Perfil das apendicectomias realizadas no Sistema Público de Saúde do Brasil. Rev Col Bras Cir. 2017;44 (1):4-8.
  3. Gomes CA, Nunes TA. Classificação laparoscópica da apendicite aguda: correlação entre graus da doença e as variáveis perioperatórias. Rev Col Bras Cir. 2006;33(5): 289-93.
  4. Freitas RG, Pitombo MB, Maya MCA, Leal PRF. Apendicite aguda. Rev Hosp Univ Pedro Ernesto. 2009;8(1):38-51.
  5. Storm-Dickerson TL, Horattas MC: What we have learned over the past 20 years about appendicitis in the elderly? Am J Surg. 2003;185(3)198-201.
  6. Brenner AS, Santin J, Virmond Neto F, Boursheid T, Valarini R, Rydygier R. Apendicectomia em pacientes com idade superior a 40 anos: análise dos resultados de 217 casos. Rev bras Coloproct.  2006; 26(2):128-32.
  7. Almeida MWR, Trevisan JA, Oliveira FS, Mattos HC, Silva AR, Barbosa e Silva MCG. Influência da idade no tempo de internação e grau evolutivo das apendicites agudas: uma revisão em um Hospital Universitário do sul do país. Rev Col Bras Cir. 2006;33(5):294-97.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21270/archi.v8i12.4807

Indexação em Base de Dados (Catálogo de Revistas Científicas)
  • BBO - Bibliografia Brasileira de Odontologia
  • BVS – Biblioteca Virtual em Saúde
  • BIREME - Portal de Revistas Científicas em Ciências da Saúde
  • LATINDEX - Sistema Regional de Información en Línea para Revistas Científicas de América Latina, el Caribe
  • SEER - Diretório de Revistas Brasileiras em SEER
  • DIADORIM - Diretório de Políticas de Acesso Aberto das Revistas Científicas Brasileiras
  • PKP - Public Knowledge Project
  • SCHOLAR GOOGLE