A realidade virtual como instrumento de apoio à conduta fisioterapêutica

  • Paulo Henrique Meira Duarte
  • Arlete Julian de Souza Cândido
  • Rodrigo Cabral Alves
  • Jairo Domingo de Morais

Resumo

Introdução: A realidade virtual vem sendo utilizado como uma excelente ferramenta de apoio à prática fisioterapêutica, pois possibilita uma prática eficaz e com redução de riscos à saúde. Objetivo: Analisar a realidade virtual como um potencial instrumento de apoio à prática fisioterapêutica por meio de uma revisão da literatura. Materiais e métodos: O estudo é definido por ser do tipo exploratório através de uma revisão da literatura. Inicialmente, foi elaborado um questionamento para que houvesse um norte na pesquisa, no qual se questionou em quais doenças a realidade virtual vem sendo empregada como conduta terapêutica na realidade da fisioterapia. Resultados: Foi selecionado um total de onze artigos, nos quais passaram por critérios de seleção. Cerca de quatro artigos destinaram-se a investigar a realidade virtual na paralisia cerebral, três artigos com atenção à saúde do idoso e apenas um artigo para a hemiplegia pós-TCE, doenças de Parkinson, hemiparesia crônica pós-AVE e doença de Ménière. Conclusão: A realidade virtual de fato possui inúmeros benefícios e vem sendo utilizada em diversas patologias e condições, no quais obtém resultados significados na rotina terapêutica.

Descritores: Terapia de Exposição à Realidade Virtual; Reabilitação; Fisioterapia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Albuquerque EC, Scalabrin EE. O uso do computador em programas de reabilitação neuropsicológica. Psicol Argum. 2007; 25(50):269-75.

Treml CJ, Kalil Filho FA, Ciccarino RFL, Wegner RS, Saita CYS, Corrêa AG. O uso da plataforma Balance Board como recurso fisioterápico em idosos. Rev bras geriatr gerontol. 2013; 16(4):759-68.

Sharp K, Hewitt J. Dance as an intervention for people with Parkinson’s disease: a systematic review and meta-analysis. Neurosci Biobehav Rev. 2014; 47:445-56.

Mendes FAS, Arduini L, Botelho A, Cruz MB, Santos-Couto-Paz CC, Pompeu SMAA et al. Pacientes com a doença de Parkinson são capazes de melhorar seu desempenho em tarefas virtuais do Xbox Kinect®: uma série de casos. Motricidade. 2015; 11(3):68-80.

Bender HV, Jacyntho ZMR, Souza DAP, Borloti E. Medidas comportamentais de presença em ambientes virtuais. CES Psicol. 2016; 9(1):47-64.

Taborda B, Briani RV, Silva DO, Pazzinatto MF, Ferreira AS, Segatti G et al. Efeito da Realidade Virtual no deslocamento do COP de indivíduos com hemiplegia. ConScientiae Saúde. 2016; 15(3):354-60.

Mucelin M, Carrapatoso BC, Souza PCS, Orsini M. Realidade virtual como possibilidade terapêutica para adolescentes com encefalopatia crônica não progressiva da infância. Rev Bras Neurol. 2015; 51(2):37-44.

Itakussu EY, Valenciano PJ, Trelha CS, Marchiori LLM. Benefícios do treinamento de exercícios com o Nintendo(r) Wii na população de idosos saudáveis: revisão de literatura. Rev CEFAC. 2015; 17(3):936-44.

Polidoro ACR, Contencas TS. Treino de equilíbrio em idosos com realidade virtual. RBM. 2014; 72(4):153-6.

Silva RR, Iwabe-Marchese C. Uso da realidade virtual na reabilitação motora de uma criança com Paralisia Cerebral Atáxica: estudo de caso. Fisioter Pesqui. 2015; 22(1):97-102.

Lopes GLB, Yano KM, Tavares NSA, Rego IAO, Marinho RI, Melo LP et al. Influência do tratamento por realidade virtual no equilíbrio de um paciente com paralisia cerebral. Rev Ter Ocup. 2013; 24(2):121-6.

Meneghini V, Barbosa AR, Mello ALSF, Bonetti A, Guimarães AV. Percepção de adultos mais velhos quanto à participação em programa de exercício físico com exergames: estudo qualitativo. Ciênc saúde coletiva. 2016; 21(4):1033-41.

Sousa ASK, Bezerra PP. A realidade virtual por meio do tapete de videodança melhora a marcha de pacientes com doença de Parkinson. Rev Bras Neurol. 2016; 52(1):21-9.

Pavão SL, Arnoni JLB, Oliveira AKC, Rocha NACF. Impacto de intervenção baseada em realidade virtual sobre o desempenho motor e equilíbrio de uma criança com paralisia cerebral: estudo de caso. Rev Paul Pediatr. 2014; 32(4):389-94.

Rodrigues-Baroni JM, Nascimento LR, Ada L, Teixeira-Salmela LF. Treino direcionado à marcha associado ao uso de realidade virtual aumenta a velocidade de marcha de indivíduos com hemiparesia crônica: revisão sistemática com metanálise. Braz J Phys Ther. 2014; 18(6):502-12.

Garcia AP, Ganança MM, Cusin FS, Tomaz A, Ganança FF, Caovilla HH. Reabilitação vestibular com realidade virtual na doença de Ménière. Braz J Otorhinolaryngol. 2013;79(3):366-74.

Monteiro RSJ, Carvalho RJP, Silva EB, Bastos FG. Efeito da reabilitação virtual em diferentes tipos de tratamento. Rev Bras Cienc. 2011; 9(29):56-63.

Mucelin M, Cantanhede BC, Souza PCS, Orsini M. Realidade virtual como possibilidade terapêutica para adolescentes com encefalopatia crônica não progressiva da infância. Rev Bras Neurol. 2015; 51(2):37-44.

Silva EKR, Macêdo LC. Realidade virtual no treinamento do equilíbrio em idosos: um estudo de revisão. RPF. 2014; 4(2):137-43.

Publicado
2018-03-19
Como Citar
Duarte, P. H. M., Cândido, A. J. de S., Alves, R. C., & Morais, J. D. de. (2018). A realidade virtual como instrumento de apoio à conduta fisioterapêutica. ARCHIVES OF HEALTH INVESTIGATION, 7(2). https://doi.org/10.21270/archi.v7i2.2288
Seção
Artigos