A relação entre estresse e autoestima em universitários de enfermagem

  • Caroline Corrêa Teixeira
  • Raissa da Silva Parmigiani
  • Sandra de Souza Pereira
  • Giselle Clemente Sailer
  • Vivian Aline Preto

Resumo

Acredita-se que a autoestima possa influenciar na minimização do estresse. O objetivo desse estudo é avaliar o estresse e a autoestima em estudantes de enfermagem Trata-se de estudo descritivo, de abordagem quantitativa, desenvolvido com 136 estudantes de enfermagem. Foram aplicados: um formulário de informações sociodemográficas, Inventário de Sintomas de Stress-para adultos e a Escala de Autoestima de Rosemberg. Para a análise dos dados foi utilizado o software SPSS versão 21 e o nível de significância adotado em toda a análise foi 5% (alfa=0,05). A maioria 108 (79,4%) dos universitários apresentaram estresse na fase de quase exaustão 78 (59,1%). Em relação à autoestima a maioria apresentou classificação de alta autoestima 71 (52,2%), seguida da média 62 (45,6%), e por fim apenas 3 (2,2%) classificaram com baixa autoestima. A alta autoestima teve associação com estresse, indicativos de que os estudantes com autoestima alta estavam mais estressados. Com intuito de compreender essa relação, acredita-se que as pessoas com alta autoestima se sintam mais capazes, e o excesso de confiança contribui para que elas assumam mais responsabilidades. Aponta-se que no desenvolvimento infantil crianças com autoestima alta apresentam a capacidade de assumir mais responsabilidades. Também se observa que pessoas com alta autoestima possuem metas mais difíceis de serem alcançadas. Conclui-se que a alta autoestima possa influenciar os indivíduos em encarar e assumir diversas tarefas e assumir mais responsabilidades, com intuito de alcançar seus objetivos, o que pode contribuir para um maior estresse. Destacando a importância da qualidade de vida desses estudantes e os malefícios do estresse, é necessário que indivíduos com excesso de responsabilidades e atividades se organizem no sentido de enfrentar o estresse com comportamentos protetores como atividade física, atividade social e busca de suporte psicológico quando necessário (Parecer Cep 1.467.389).

Descritores: Estresse Fisiológico; Autoestima; Estudantes de Enfermagem.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2017-11-26
Como Citar
Teixeira, C. C., Parmigiani, R. da S., Pereira, S. de S., Sailer, G. C., & Preto, V. A. (2017). A relação entre estresse e autoestima em universitários de enfermagem. ARCHIVES OF HEALTH INVESTIGATION, 6. Recuperado de https://archhealthinvestigation.com.br/ArcHI/article/view/2300