Esplintados x não esplintados. Qual o melhor sistema de retenção para overdentures? Revisão sistemática e metanálise

  • Leão RS, Vasconcelos BCE, Moraes SLD, Lemos CAA, Pellizzer EP

Resumo

A comparação dos sistemas de retenção de overdenture esplintado e não esplintado em relação à perda óssea marginal, complicações protéticas e taxa de sobrevivência do implante, foi o objetivo desta revisão sistemática e metanálise. Foi realizado o cadastro no sistema PROSPERO e a revisão foi realizada seguindo os critérios estabelecidos pelo PRISMA. As bases de dados, consultadas por dois pesquisadores independetes, foram Pubmed / MEDLINE, Scopus e Cochrane, utilizando as palavras-chaves: “overdenture AND attachment OR overdenture AND bar OR overdenture splinted”. A metanálise realizada avaliou a perda óssea marginal com base na diferença média (MD), complicações e a taxa de sobrevivência do implante pela relação de risco (RR), com intervalo de confiança de 95%. Um total de 1306 foram identificadas e após a aplicação dos critérios de elegibilidade 11 artigos foram selecionados. Um total de 1199 implantes foram colocados em 446 pacientes (idade média: 62,9 anos). A metanálise não demonstrou diferenças estatisticamente significativas entre os dois tipos de sistemas de retenção em relação à perda óssea marginal (P 0,59 MD: -0,05 IC 95%: -0,25 a 0,15), complicações (P 0,26 RR: 1,25, IC: 0,85 a 1,86) ou taxa de sobrevivência do implante (P 0,11 RR: 0,45% CI: 0,16 a 1,21). Desta forma, os sistemas esplintados e não esplintados apresentam performance similar em relação à perda óssea marginal, complicações protéticas e taxa de sobrevivência do implante.

Descritores: Encaixe de Precisão de Dentadura; Overdenture; Implantes Dentários.

Referências

  1. Moher D, Liberati A, Tetzlaff J, Altman DG. Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: the PRISMA statement. Int J Surg. 2010; 8:336-41.
  2. Thomason JM, Kelly SA, Bendkowski A, Ellis JS. Two implant retained overdentures--a review of the literature supporting the McGill and York consensus statements. J Dent. 2012; 40(1):22-34.
  3. Cardoso RG, Melo LA, Barbosa GA, Calderon PD, Germano AR, Mestriner WJ et al. Impact of mandibular conventional denture and overdenture on quality of life and masticatory efficiency. Braz Oral Res. 2016; 30:e102.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-10-11
Como Citar
Moraes SLD, Lemos CAA, Pellizzer EP, L. R. V. B. (2018). Esplintados x não esplintados. Qual o melhor sistema de retenção para overdentures? Revisão sistemática e metanálise. ARCHIVES OF HEALTH INVESTIGATION, 7. Recuperado de https://archhealthinvestigation.com.br/ArcHI/article/view/3318