Restaurações endocrown: influência da quantidade de remanescente dentário e material restaurador na distribuição de tensões e na carga à fratura após envelhecimento mecânico

  • Dal Piva AMO, Tribst JPM, Madruga CFL, Valera MC, Borges ALS, Bresciani E, Melo RM, Bottino MA

Resumo

Avaliar o efeito do material e do remanescente dental na distribuição de tensões e carga máxima à fratura (CMF) de endocrowns (EC). Para análise por elementos finitos, 3 molares tratados endodonticamente foram modelados com diferentes alturas de remanescente dentário: 1,5, 3 ou 4,5 mm. Os modelos foram duplicados e restaurados com EC em dissilicato de lítio ou cerâmica à base de leucita (DL - Emax CAD e L - Empress CAD, Ivoclar Vivadent). Os sólidos foram importados para o software de análise onde foram reportadas as propriedades mecânicas de cada material considerado isotrópico, linearmente elástico e homogêneo. Uma carga (300N) foi aplicada na superfície oclusal em triploidismo e os resultados solicitados em tensão máxima principal (MPS) no dente, cimento e restauração. 60 molares foram utilizados para reproduzir o ensaio in vitro (n° 060259/2017). Os dentes restaurados foram submetidos à fadiga mecânica (200N, 2x106 ciclos) e ao ensaio de CMF (1000Kgf, 1mm/min). Os dados foram analisados por ANOVA 2 fatores e teste Tukey (ambos p<0,05). Quanto maior o módulo elástico do material e maior remanescente dental, maior a concentração de tensão na restauração e menor na linha de cimento. 100% das endocrowns sobreviveram à fadiga. O remanescente não influenciou à CMF (p=0,548) diferente do material (p=0,003). DL apresentou valores médios de CMF (1714N)A superiores à L (1313N)B. O tecido dental deve sempre ser preservado. Quanto mais espessa a restauração mais protegida está a interface adesiva. Resultados são mais promissores quando DL é utilizado.

Descritores: CAD-CAM; Cerâmica; Dente Tratado Endodonticamente.

Apoio: FAPESP (Processo 2017/11535-3)

 

Referências

  1. Tribst J, Anami LC, Özcan M, Bottino MA, Melo RM, Saavedra G. Self-etching Primers vs Acid Conditioning: Impact on Bond Strength Between Ceramics and Resin Cement. Oper Dent. 2018; 43(4):372-79.
  2. Dal Piva AMO, Tribst JPM, Souza ROAE, Borges ALS. Influence of alveolar bone
    loss and cement layer thickness on the biomechanical behavior of endodontically
    treated maxillary incisors: a 3-dimensional finite element analysis. J Endod.
    2017; 43(5):791-95.
  3. Dal Piva AMO, Tribst JPM, Bottino MA. Evaluation of shear bond strength and shear stress on zirconia reinforced lithium silicate and high translucency zirconia. J Oral Res.2018; 7(1):30-6.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2018-10-11
Como Citar
Valera MC, Borges ALS, Bresciani E, Melo RM, Bottino MA, D. P. A. T. J. M. C. (2018). Restaurações endocrown: influência da quantidade de remanescente dentário e material restaurador na distribuição de tensões e na carga à fratura após envelhecimento mecânico. ARCHIVES OF HEALTH INVESTIGATION, 7. Recuperado de https://archhealthinvestigation.com.br/ArcHI/article/view/3369