Desenvolvimento dental e idade cronológica em pacientes com fissuras labiopalatinas: uma revisão de literatura

  • Andressa Cavalcanti Pires
  • Marina Tavares Costa Nóbrega
  • Tânia Braga Ramos
  • Rosa Helena Wanderley Lacerda

Resumo

Introdução: A idade dentária representa um aliado na avaliação da idade fisiológica, que comparada a idade cronológica, podem orientar quanto as alterações de desenvolvimento. Objetivo: Avaliar o atraso de desenvolvimento dental relacionado a idade cronológica do indivíduo portador de fissura labiopalatina. Material e método: Para realização da revisão da literatura foi utilizada abordagem indutiva e técnica documental baseada na literatura pré-existente sobre o assunto. A pesquisa abrange a busca de artigos publicados nas bases de referências bibliográficas PUBMED, Portal de Periódicos CAPES, SCIELO e BIREME. Utilizou-se como descritores: “odontogênese”, “fissura labial”, “fissura palatina”, “odontogenesis”, “cleft lip” e “cleft palate”. Resultados: Após excluídas as duplicatas, 34 artigos foram encontrados nas bases de dados selecionadas. Sendo 32 na base Pubmed, 25 na base Bireme, 04 no Portal de Periódicos CAPES e nenhum na base Scielo. Destes, 04 foram selecionados para análise. Conclusão: Pode-se concluir com esse trabalho que existe um atraso no desenvolvimento dentário de pacientes com fissura lábiopalatina em relação aos pacientes não fissurados e um atraso no desenvolvimento dentário de 6 meses deve ser considerado ao planejar o tratamento e cirurgias. É inconclusiva a diferença relacionada ao gênero.

Descritores: Odontogênese; Fissura Labial; Fissura Palatina.

Referências

  1. Vellini-Ferreira F. Ortodontia: Diagnóstico e Planejamento Clínico. 7. ed. São Paulo: Artes Médicas Ltda; 2008.
  2. Carrara CFC. Estudo da cronologia e sequência de erupção e das agenesias dos dentes permanentes em indivíduos brasileiros, leucodermas, portadores de fissura transforame incisivo unilateral [dissertação]. Bauru: Faculdade de Odontologia de Bauru - USP; 2000.
  3. Carvalho AAF, Carvalho A, Santos Pinto MC. Estudo radiográfico do desenvolvimento da dentição permanente de crianças brasileiras com idade cronológica variando entre 84 e 131 meses. Rev. Odonto UNESP. 1990;19:(1):31-9.
  4. Toledo OA. Aspectos da cronologia de erupção dos dentes permanentes. Considerações sobre o efeito da urbanização na alteração da cronologia eruptiva. Rev. Odontol Araçatuba.1965;1:47-64.
  5. Loevy HT, Aduss H. Tooth maturation in cleft lip, cleft palate, or both. Cleft Palate J.1988; 25(4):343-47.
  6. Ellis III. Management of Patients with Orofacial Clefts. In: Hupp, Ellis III, Tucker. Contemporary oral and maxillofacial surgery, 6ª th. Misssouri: Elsevier; 2014.
  7. Freitas e Silva DS, Mauro LDL, Oliveira LB, Ardenghi TM, Bönecker M. Estudo descritivo das fissuras lábio-palatinas relacionadas a fatores individuais, sistêmicos e sociais. RGO. 2008;56(4):387-91.
  8. Conway JC, Taub PJ, King R, Oberoi K, Doucette J, Jabs EW. Ten-year experience of more than 35,000 orofacial clefts in Africa. BMC Pediatr. 2015;15:8.
  9. Faraj JORA, André M. Alterações dimensionais transversas do arco dentário com fissura labiopalatina, no estágio de dentadura decídua. R Dental Press Ortodon Ortop Facial. 2007; 12(5):100-8.
  10. Silva Filho OG, Freitas JAS. Caracterização Morfológica e Origem Embriológica. In: Trindade IEK, Silva Filho OG (orgs). Fissuras labiopalatinas: uma abordagem interdisciplinar. São Paulo: Santos; 2007.p.17-49.
  11. Watson ACH. Embriologia, etiologia e incidência. In: Watson ACH, Sell DA, Grunwell P (orgs). Tratamento de fissura labial e fenda palatina. São Paulo: Santos; 2005.p.3-15
  12. Lages EMB, Marcos B, Pordeus IA. Oral health of individuals with cleft lip, cleft palate, or both. Cleft Palate-Craniofac J. 2004;41(1):59-63.
  13. Zandi M, HeidarI A. An epidemiologic study of orofacial clefts in Hamedan city, Iran: a 15-year study. Cleft Palate–Craniofac J. 2011;48(4 ):483-89.
  14. Coutinho ALF, Lima MC, Kitamura MAP, Ferreira Neto J, Pereira RM. Perfil epidemiológico dos portadores de fissuras orofaciais atendidos em um Centro de Referência do Nordeste do Brasil. Rev. Bras Saúde Mater Infant. 2009;9(2):149-56.
  15. Tan EL, Yow M, Kuek MC, Wong HC. Dental maturation of unilateral cleft lip and palate. Ann Maxillofac Surg. 2012;2(2):158-62.
  16. Lakatos EM, Marconi MA. Fundamentos de metodologia científica. 7 ed. São Paulo: Atlas, 2010.
  17. Borodkin AF, Feigal RJ, Beiraghi S, Moller KT, Hodges JS. Permanent tooth development in children with cleft lip and palate. Pediatr Dent. 2008; 30:408-13.
  18. Lai MC, King NM, Wong HM. Dental development of Chinese children with cleft lip and palate. Cleft Palate Craniofac J. 2008; 45:289-96.
  19. Tan ELY, Kuek MC, Wong HC, Yow M. Longitudinal dental maturation of children with complete unilateral cleft lip and palate: a case-control cohort study.Orthod Craniofac Res.2017; 20(4):189-95.
  20. Celebi AA, Ucar FI, Sekerci AE, Caglaroglu M, Tan E. Effects of cleft lip and palate on the development of permanent upper central incisors: a cone-beam computed tomography study. Eur J Orthod. 2015; 37(5):544-49.
  21. Ranta R. A comparative study of tooth formation in the permanent dentition of Finnish children with cleft lip and palate. Proc Fin Dent Soc. 1972;68(2):58-66.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-02-20
Como Citar
Pires, A. C., Nóbrega, M. T. C., Ramos, T. B., & Lacerda, R. H. W. (2020). Desenvolvimento dental e idade cronológica em pacientes com fissuras labiopalatinas: uma revisão de literatura. ARCHIVES OF HEALTH INVESTIGATION, 8(9). https://doi.org/10.21270/archi.v8i9.3418
Seção
Artigos de Revisão