Influência do traumatismo dentário na qualidade de vida de crianças de 8 a 10 anos de idade das escolas particulares do município de Patos – PB, Brasil

  • Larissa Rafaela de Medeiros Silva
  • Jéssica Fernanda Delfino dos Santos
  • Natália Magalhães Alves
  • Elaine Roberta Leite de Souza
  • Tássia Cristina de Almeida Pinto Sarmento
Palavras-chave: Criança, Qualidade de Vida, Traumatismos Dentários

Resumo

Introdução: Os traumatismos são provenientes da ação de agentes mecânicos que ultrapassam a resistência dos tecidos, eles podem afetar a qualidade de vida das crianças negativamente. Objetivos: Avaliar a influência dos traumatismos dentários na qualidade de vida em crianças de 08 a 10 anos de idade, em escolas particulares de Patos-PB. Material e método: Este estudo teve caráter observacional, quantitativo, analítico e de corte transversal com uma amostra de 384 crianças. Previamente a coleta de dados foi realizado um estudo piloto para testar a metodologia proposta e a obtenção dos dados foi realizada mediante a aplicação do questionário CPQ8-10, seguido de exame clínico intraoral por duas examinadoras calibradas (Kappa intraexaminadores 0,86; Kappa Interexaminadores 0,84). Para análise dos dados foi utilizado o programa SPSS na versão 8.0, foram utilizadas técnicas de estatística descritiva e inferencial bivariada. Resultados: O sexo masculino teve maior prevalência de traumas (37,4%), assim como a idade de 10 anos (41,4%), a prevalência de traumatismo dentário foi de (31,8%), sendo os incisivos o grupo de dentes mais afetados (96,72%), o tipo de trauma mais prevalente foi a fratura de esmalte, as maiores prevalências nos domínios em crianças com traumas foram no baixo impacto, com exceção do domínio 4, a média do CPQ8-10 foi de 12,66. Conclusão: As crianças com traumatismo dentário tiveram impacto na qualidade de vida em todos os domínios, entretanto sem associação estatística, sugere-se que mais estudos sejam elaborados sobre o tema para que estratégias de prevenção contra traumas dentários sejam criadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Yero Mier IM, Gonzales Fortes B, Mursulí Sosa M, Cruz Milián MC. Traumatismo dentario, 15 a 18 años. Escuela Militar Camilo Cienfuegos. Sancti Spíritus 2011. Gac méd spirit. 2013;15(1):92-102.

Alnaggar D, Anderson L. Emergency management of traumatic dental injuries in 42 countries. Dent Traumatol. 2015;31(2):89-96.

Nuñes-Ramos R, Díaz JD, García SM, García AIR, Ferrer MM. Manejo del traumatismo alvéolo-dentario infantile en el servicio de urgencias de un hospital terciário. Rev Pediatr Aten Primaria. 2013;15:307-13.

Freire-Maia FB, Auad SM, Abreu MHNG, Sardenberg F, Martins MT, Paiva SM et al. Prevalence of and factors associated with enamel fracture and other traumas in Brazilian children 8-10 years old. Braz Oral Res. 2018;32:e-89

Soares IJ, Goldeberg F. Endodontia: técnica e fundamentos. 2. ed. Porto Alegre: Artmed; 2011.

Sigurdsson A, Trope M, Chivian N. O papel da endodontia após o traumatismo dentário. Caminhos da polpa. Rio de janeiro: Elsevier; 2011.

Traebert J, Marcon KB, Lacerda JT. Prevalência de traumatismo dentário e fatores associados em escolares do município de Palhoça (SC). Ciênc Saúde Colet. 2010;15(1):1849-55.

Pahel BT, Rozier R, Slade GD. Parental perceptions of children’s oral health: the early childhood oral health impact scale (ecohis). Health Qual Life Outcomes. 2007;5(1):1-10.

Gherupong S, Tsakos G, Sheiham A. Developing and evaluating an oral health- related quality of life index for children; the child-oidp. Community Dent Health. 2004; 21(2):161-69.

Martins MT, Ferreira FM, Oliveira Ac, Paiva Sm, Vale MP, Allison PJ et al. Preliminary validation of the Brazilian version of the child perceptions questionnaire 8-10. Eur J Paediatr Dent. 2009;10(3):135-40.

Barbosa TS, Vicentin MDS, Gavião MBD. Qualidade de vida e saúde bucal em crianças - Parte I: versão brasileira do child perceptions questionnaire 8- 10. Ciênc Saúde Colet. 2011;16(10):4077-85.

Inep. Número de matrículas da educação básica no Ensino regular [homepage na internet]. Brasil; [acesso em 2019 Set. 12]. Disponível em: https://inepdata.inep.gov.br/ analytics/saw.dll?PortalGo.

Kirkwood BR. Essentials of medical statistcs. Oxford: Blacwell Science; 1996.

Peres MA, Traebert J, Marcenes W. Calibração de examinadores para estudos epidemiológicos de cárie dentária. Cad Saúde Pública. 2001;17(1):153-59.

Jokovic A, Locker D, Tompson B, Guyatt G. Questionnaire for measuring oral health- related-quality of life in eight- to ten-year-old children. Pediatr Dent. 2004;26(6):512-18.

Eberinter CST. Impacto do trauma dental na qualidade de vida de crianças de 8 a 10 anos que frequentam escolas municipais de Florianópolis [Monografia]. Florianópolis: Universidade Federal de Santa Catarina; 2017.

Collazo MEF, Soto AR, Morales DV, Maydel PF, Seijas BB. Características asociadas al trauma dentoalveolar en incisivos superiors. Rev Cubana Estomatol. 2013;50(2):153-61.

Valle ML, Otero JA. Traumatismos dantarios en el menor de 19 años. Rev Ciencias Médicas. 2012;16(5):4-13.

Soriano EP, Caldas Junior AF, Carvalho MVD, Amorim Filho HA. Prevalence and risk factors related to traumatic dental injuries in Brazilian schoolchildren. Dent Traumatol. 2007;23(4):232-40.

Traebert J, Almeida ICS, Garghetti C, Marcenes W. Prevalência, necessidade de tratamento e fatores predisponentes do traumatismo na dentião permanente de escolares de 11 a 13 anos de idade. Cad. Saúde Pública. 2004;20(2):403-10.

Freire-Maia FB, Auad SM, Abreu MH, Sardenberg F, Martins MT, Paiva Sm et al. Oral health-related quality of life and traumatic dental injuries in young permanent incisors in Brazilian schoolchildren: A multilevel approach. PLoS One. 2015;10(8):1-18.

Lima CCB. Provável bruxismo do sono em escolares: prevalência, fatores associados e impacto na qualidade de vida [tese]. Belo Horizonte: Universidade Federal de Minas Gerais; 2017.

Abanto J, Paiva SM, Raggio DP, Celiberti P, Aldrigui Jm, Bonecker M. The impact of dental caries and trauma in children on family quality of life. Community Dent Oral Epidemiol. 2012; 40(Suppl 2):323-31.

Bhatia R, Winnier JJ, Metha N. Impact of malocclusion on oral health-related quality of life in 10-14-year-old children of Mumbai, India. Contemp Clin Dent. 2016;7(4):445-50.

Lunardelli NA, Lunardelli SE, Pereira KCR, Xavier SC, Martins LGT, Traebert EA, et al. Dent trauma and oral health-related quality of life in schoolchildren from public schools of a southern Brazilian city. RGO. 2018;66(2):147-53.

Alonso JL, Díaz CL, Herreras AS, Avello JL, Gutiérrez YT. Nivel de información sobre traumatismo dentoalveolares en padres y educadores. Arch Méd Camaguey. 2009;13(4).

Marcenes W, Zabot NE, Traebert J. Socio-economic correlates of traumatic injuries to the permanent incisors in schoolchildren aged 12 years in Blumenau, Brazil Dent Traumatol. 2001;17(5):218-22.

Alhaddad B, Rózsa Nk, TarjánI. Dental trauma inchildren in Budapest. A retrospective study. Eur J Paediatric Dent. 2019;20(2):111-15.

Bae J. Kim Y, Choi Y. Clinical Characteristics of dental emergencies and prevalence of dental trauma at a university hospital emergency center in Korea. Dent Traumatol. 2011;27(5):374-78.

García MV, Acosta YA, Llanes RR, Campo LA. Comportamiento de los traumatismos dentoalveolares en alumnus de las ESBU del municipio artmisa. Rev Cubana Estomatol. 2009;46(4):32-41.

Piragibe Junior M. Fraturas coronárias com exposição pulpar: levantamento epidemiológico em ambulatório de trauma dentoalveolar em um período de 8 anos [dissertação]. Rio de Janeiro: Universidade Estácio de Sá; 2011.

Gonçalves BM, Dias LF, Pereira CS, Ponte Filho MX, Konrath AC, Bolan MS et al. O impacto do traumatismo dental e do comprometimento estático na qualidade de vida de pré escolares. Rev paul pediatr. 2017;35(4):448-55.

Véliz A, Catalán B, Riosecoo C, Jerez P, Latapiat A, Matamoros D et al.Retrospective study of traumatics dental injuries of patients treated at a dental trauma clinic in Santiago, Chile. Int J Odontostomat. 2017;11(4):405-10.

Reisen A, Nascimento RRS, Bittencourt CCBLD, Rosa RT, ZAnin L, Flório FM. Prevalence of dental fractures and associated factors in students os Valinhos, SP, Brazil. Braz J Oral Sci. 2013;12(4):280-84.

Doria CN, Soares NCL. Traumatismos em dentes anteriores na infância: importância do conhecimento sobre prevalência e etiologia para a prevenção [dissertação]. Aracaju: Universidade Tiradentes; 2016.

Borin-Moura L, Azambuja-Carvalho P, Daer-de-Faria G, Barros-Gonçalves L, Kirst-Post L, Braga-Xavier C. A 10-year retrospective study of dental trauma in permanent dentition. Rev Esp Cir Oral Maxilofac. 2018;40(2):65-70.

Zaleckiene V, Peciuliene V, Brukiene V, Druktenis S. Traumatic dental injuries: etiology, prevalence and possible outcomes. Stomatologija. 2014;16(1):7-14.

Barrio PGS, Santos LS, Piñero CJP, Rodríguez ET. Factores predisponentes del trauma dental, Escuela Primaria "República de Angola" (2012-2013). Rev Cubana Estomatol. 2015;52(2):122-34.

Cabral IRS, Branco CMCC, Granville-Garcia Af, Firmino RT, Torrer BO, Ferreira JMS. Impacto da saúde bucal na qualidade de vida de escolares do município de pequeno porte da Paraíba. Odonto. 2016;23(45-46):47-55.

Soares JP, Barasuol JC, Torres FM, Giacomin A, Gonçalves BM, Klein D et al. The impact of crown fracture inthe permanente dentitions on children’s quality of life. Dent. Traumatol. 2018;34(3):158-63.

Shurch HS, Costa FS, Torriani DD, Demarco FF, Goettems ML. Oral health- related quality of life of schoolchildren: impact of clinical and psychosocial variables. Int J Paeditr Dent. 2014;25(5):358-65.

Publicado
2020-10-22
Como Citar
Silva, L. R. de M., Santos, J. F. D. dos, Alves, N. M., Souza, E. R. L. de, & Sarmento, T. C. de A. P. (2020). Influência do traumatismo dentário na qualidade de vida de crianças de 8 a 10 anos de idade das escolas particulares do município de Patos – PB, Brasil. ARCHIVES OF HEALTH INVESTIGATION, 10(1), 116-122. https://doi.org/10.21270/archi.v10i1.4856
Seção
Original Articles