Avaliação da percepção dos responsáveis por crianças na primeira infância sobre a importância da prática de higienização bucal

  • Iorrana Morais de Oliveira
  • Lorrayne Oliveira de Paula
  • Jordana Resende Martins
  • Carla Oliveira Favretto

Resumo

Introdução: A atenção odontológica é de suma importância para conscientização dos pais sobre a saúde bucal do seu filho desde os primeiros meses de vida, ressaltando informações sobre a higienização bucal, dieta alimentar e hábitos parafuncionais. Objetivos: avaliar o conhecimento de pais e/ou responsáveis de crianças na primeira infância quanto a conduta diária de higienização de seus filhos. Metodologia: foi aplicado um questionário com perguntas objetivas sobre o conhecimento dos hábitos de higiene bucal em relação ao seu filho em cinco creches que atendem crianças de 0-4 anos. Os dados foram tabulados no programa Microsoft Excel ®2016 e os resultados obtidos por uma análise descritiva e quantitativa. Resultados: Dos pais e/ou responsáveis entrevistados, todos relataram saber da importância da dentição decídua e 97% sabiam o que era doença cárie dentária. Quanto a escovação, 98% das crianças fazem diariamente, no entanto apenas 55% dessas crianças os pais auxiliam nessa escovação e somente 34% realizam três vezes ao dia. Todos os entrevistados afirmaram ter ciência da importância da dentição decídua e 50% responderam que a criança deve ir ao dentista pela primeira vez no momento que irrompe o primeiro dente na cavidade bucal. Conclusão: Dessa forma, conclui-se que, o conhecimento dos pais e/ou responsáveis sobre a importância da higienização bucal é fundamental, pois práticas simples de prevenção possibilitam o desenvolvimento da dentição decídua saudável, no entanto essas informações precisam ser passadas aos responsáveis.

Descritores: Saúde Bucal; Assistência Odontológica; Higiene Bucal.

Referências

  1. Lunt RC, Law DB. A review of the chronology of eruption of deciduous teeth. J Am Dent Assoc. 1974;89(4):872-9. 
  2. Figueiredo JR. A odontopediatria e suas relações. Rev Racine. 1998;42:22-5.
  3. Brasil, Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica, Coordenação Nacional de Saúde Bucal. Diretrizes da Política Nacional de Saúde Bucal. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.
  4. Âlcantara TL, Batista MJ, Gibilini C, Ferreira NP, Sousa MLRRPG. Fatores associados à saúde bucal de pré-escolares inseridos em programa educativo preventivo no município de Piracicaba/SP. RPG Rev Pós Grad. 2011;18:102-9.
  5. Faustino Silva DD, Ritter F, Nascimento IM, Fontanive PVN, Persici S, Rossoni E. Cuidados em saúde bucal na primeira infância: percepção e conhecimentos de pais ou responsáveis de crianças em um centro de saúde de porto Alegre,RS. Rev. Odonto Ciênc. 2008;23(4):375-79.
  6. Silva CM, Basso DF, Locks A. Alimentação na primeira infância: Abordagem para a promoção da saúde bucal. Rev Sul-Bras Odontol. 2010;7(4):458-65
  7. Navarro MLR, Reyes SS, Araujo MEF, Zavala VHGS. Prevalencia y grado de gingivitis asociada a placa dentobacteriana en niños. Nova Scientia, 2014;6(2):190-218.
  8. Bentley E. Dental health. I. Views about preventive dental care for infants. Health Visit. 1994;67(3):88-9.
  9. Ripa LW. Nursing caries: a comprehensive review. Pediatr Dent. 1988 Dec;10(4):268-82.
  10. Schwarz N. Assessing frequency reports of mundane behaviors: contributions of cognitive psychology to questionnaire construction. In: Hendrick C, Clark MS. Research methods in personality and social psychology. London: Sage Publications; 1990. p. 98-119.
  11. Castro LA, Teixeira DLS, Modesto A. A influência do perfil materno na saúde bucal da criança: relato de caso. JBP J bras odontopediatr odontol bebê. 2002;5(23):70-4.
  12. Nowak AJ, Warren JJ. Infant oral health and oral habits. Pediatr Clin North Am. 2000;47(5):1043-66, vi. 
  13. American Academy of Pediatric Dentistry. Policy on early childhood caries (ECC): classifications, consequences, and preventive strategies. Pediatr Dent. 2006;27(7 Suppl):31-3.
  14. Cangussu MCT, Narvai PC, Fernandes RC, Djehizian V. A fluorose dentária no Brasil: uma revisão crítica. Cad Saúde Pública. 2002;18(1):7-15.
  15. Warren JJ, Levy SM. A review of fluoride dentifrice related to dental fluorosis. Pediatr Dent. 1999;21(4):265-71. 
  16. Batista MDE, Valença AMG. Dentifrícios fluoretados e sua utilização em crianças. Arq Odontol. 2004;40(2):127-37.
  17. Peres MA, Latorre MRDO, Sheiham A, Peres KG, Barros FC, Hernandez PG et al. Effects of social and biological factors on dental caries in 6-year-old children: a cross sectional study nested in a birth cohort in Southern Brazil. Rev bras epidemiol. 2003;6(4):293-306.
  18. American Academy of Pediatric [homepage na internet]. Chicago: Oral Health Policies: Early Childhood Caries (ECC): Classifications, Consequences, and Preventive Strategies; 1978.
  19. Ramos BC, Maia LC. Cárie tipo mamadeira e a importância da promoção de saúde bucal em crianças de 0 a 4 anos. Rev Odontol Univ São Paulo. 1999;13(3):303-11.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-04-20
Como Citar
Oliveira, I. M. de ., Paula, L. O. de ., Martins, J. R. ., & Favretto, C. O. (2020). Avaliação da percepção dos responsáveis por crianças na primeira infância sobre a importância da prática de higienização bucal. ARCHIVES OF HEALTH INVESTIGATION, 9(6), 596-600. https://doi.org/10.21270/archi.v9i6.4874
Seção
Artigos Originais