Panorama da prótese total no Brasil: um estudo bibliométrico

  • Lays Mayara Macena Santos
  • José André Carneiro da Silva
  • Cristine D’Almeida Borges
  • Ana Regina Oliveira Moreira
  • Leopoldo Cosme Silva
  • Valdeci Elias dos Santos Júnior
  • Marília de Lima Soares
  • Priscylla Correia Leite Gonçalves de Marcelos
  • Diego Moura Soares

Resumo

Objetivo: O presente trabalho objetiva avaliar a produção científica publicadas nos anais do Congresso da Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica (SBPqO) acerca da prótese total convencional. Metodologia: Foi realizado um estudo observacional retrospectivo, a partir da observação indireta e a análise de dados secundários, baseado nos trabalhos apresentados na Reunião Anual da SBPqO no período de 2014 a 2018. Foram analisados as variáveis nível de satisfação e qualidade de vida; deslocamento e inclinação; vínculo ao serviço público; infecção e contaminação; técnicas de moldagens; higiene; planejamento; estabilidade e retenção; e, materiais utilizados. Além disso, foram coletadas informações das subdivisões de regiões e estados, com o objetivo de verificar dentro da prótese total o panorama no Brasil no intervalo de cinco anos. Os dados foram catalogados e analisados com o auxílio do software SPSS na versão 16, e apresentados por meio da estatística descritiva. Resultados: Os resultados encontrados mostram que as Regiões Sudeste e Nordeste representam 56,9% e 24,7% da produção científica nacional sobre prótese respectivamente; 79,57% dos trabalhos foram realizados em instituições públicas; os temas mais pesquisados sobre prótese total é o nível de satisfação dos usuários e estabilidade da prótese; o número de publicações é muito flutuante ao longo dos anos. Conclusão: Conclui-se que existem muitas lacunas a serem abordadas sobre próteses totais, como os materiais disponíveis, planejamento e técnicas de moldagem.

Descritores: Prostodontia; Bibliometria; Prótese Total; Prótese Dentária.

Referências

  1. Melo M, Borges RN, Freitas GC, Prado MM, Melo TG, Melo TCAS. Verificação do uso de próteses dentárias em servidores da UFG. Robrac. 2015;24(69):92-4.
  2. Evangelista Souza S, Valadares Oliveira L, Pinheiro Freitas A, Andrade Meyer G, Carneiro Leão Gabarto M. Perfil sócio-econômico de pacientes desdentados totais reabilitados na Faculdade de Odontologia da Universidade Federal da Bahia, Brasil. Rev cubana estomatol. 2015;52(1).
  3. Nóbrega DRM, Lucena AG, Medeiros LADM, Farias TSS, Meira KRS, Mahon SMOD. Avaliação da utilização e hábitos de higiene em usuários de prótese dentária removível. Rev Bras Odontol. 2016;73(3):193-97.
  4. Azevedo JS, Azevedo MS, Oliveira LJC, Correa MB, Demarco FF. Uso e necessidade de prótese dentária em idosos brasileiros segundo a Pesquisa Nacional de Saúde Bucal (SBBrasil 2010): prevalências e fatores associados. Cad Saúde Pública. 2017;33(8): e00054016.
  5. Cardoso M, Balducci I, Telles DM, Lourenço EJV, Nogueira Junior, L. Edentulism in brazil: trends, projections and expectations until 2040. Cienc saúde coletiva. 2016; 21(4):1239-46.
  6. Silva ET, Oliveira RT, Leles CR. O edentulismo no brasil: epidemiologia, rede assistencial e produção de próteses pelo sistema único de saúde. Tempus. 2015;9(3):121-34.
  7. Silva FR, Padilha EZ, Baldani MH. Serviços odontológicos especializados nas cidades médias não metropolitanas do estado do Paraná, entre 2003 e 2010: estudo exploratório. Epidemiol Serv Saúde. 2013;22(4):641-50.
  8. Pereira VR, Carvalho MM, Rotondaro RG. Um estudo bibliométrico sobre a evolução da pesquisa da qualidade em serviço. Production. 2013; 23(2):312-28.
  9. Maciel MMSA, Silva KBN, Melo JGA, Soares DM. Metodologia ativa aplicada ao ensino odontológico: um panorama nacional a partir de um estudo bibliométrico. Arch Health Invest. 2019;8(2):74-8.
  10. Melo JGA, Soares DM. Análise bibliométrica do uso de células-tronco em pesquisas odontológicas. Arch Health Invest. 2019;8(12):766-70.
  11. Soares D, Maciel M, Figueredo-Filho A, Melo J. Brazilian scientific production in periodontics: a national panorama from a bibliometric study. Rev Clin Periodoncia Implantol Rehabil Oral. 2019;12(2); 66-9.
  12. Queiroz VKP, Soares DM. Pesquisas odontológicas relacionadas com microcefalia: um estudo bibliométrico. Arch Health Invest 2019;8(11):681-85.
  13. Gomes D, Agnoletto IG, Souza ML, Spiger V, Jakymiu JRG, Fugii EC et al. A produção científica da Odontologia e a Agenda Nacional de Prioridades de Pesquisa em Saúde. Rev ABENO. 2017;17(2):11-21.
  14. Primo BT, Grazziotin-Soares R, Bertuzzi D, Claudy MP, Hernandez PAG, Fontanella VRC. Produção científica da ULBRA: análise do número e do delineamento das pesquisas publicadas nos suplementos da Brazilian Oral Research (SBPqO). Stomatos. 2010; 16(31):69-76.
  15. Souza JGS, Popoff DAV, Oliveira RCN, Almeida ER, Martelli Junior H, Martins AMEBL. Profile and scientific production of Brazilian researchers in dentistry. Arq Odontol. 2016;52(1):13-22.
  16. Navarro P, Chuhuaicura P, Soto-Faúndez N, Soto C. Diseños de investigación y pruebas estadísticas utilizadas en revistas odontológicas de la red SciELO. Av Odontoestomatol. 2019; 35(1):19-25.
  17. Aguiar VR, Celeste RK. Necessidade e alocação de laboratórios regionais de prótese dentária no brasil: um estudo exploratório. Ciênc saúde coletiva. 2015;20:3121-28.
  18. Dias AA, Narvai PC, Rêgo DM. Tendências da produção científica em odontologia no Brasil. Rev Panam Salud Publica. 2008;24(1):54-60.
  19. Celeste RK, Warmling CM. Produção bibliográfica brasileira da Saúde Bucal Coletiva em periódicos da saúde coletiva e da Odontologia. Ciênc saúde coletiva. 2014;19(6):1921-32.
  20. Cavalcanti AL, Melo TRNB, Barroso KMA, Souza FECD, Maia AMA, Silva ALDO. Perfil da pesquisa científica em Odontologia realizada no Brasil. Pesqui bras odontopediatria clin integr. 2004;4(2):99-104.
  21. Gonçalves APR. Cenário atual e inserção internacional da pesquisa Odontológica brasileira [tese]. Pelotas: Universidade Federal de Pelotas; 2019.
  22. Gabardo MCL, Copelli FA, Tuzzi AL, Trentin G, Lima J, Tomazinho FSF, et al. Pesquisa científica em Endodontia apresentada na Reunião Anual da Sociedade Brasileira de Pesquisa Odontológica: análise bibliométrica de 2010 a 2018. Rev ABENO. 2019;19(3):144-52.
  23. Barbosa D, Barão VAR, Assunção WG, Gennari Filho H, Goiato MC. Instalação de prótese total: uma revisão. Rev Odontol UNESP. 2006;35(1):53-60.
  24. Abreu CW, Munhoz E. Os fatores que influenciam na satisfação do paciente submetido a tratamento de prótese total convencional. Hu Rev. 2011;37(4):413-19.
  25. Martins LMJ. Vantagens e desvantagens da prótese total acrílica e a prótese total sobre implante: uma revisão narrativa da literatura [disseetação]. Portugal: Instituto Universitário de Ciências da Saúde; 2018.
  26. Marchini L, Montenegro FLB, Cunha VDPP, Santos JFF. Prótese dentária na terceira idade: considerações clínicas e preventivas diversas. Rev Longeviver. 2010;1.
  27. Grings JS. Protocolo de branemark: uma revisão de literatura [monografia]. Porto Alegre: Faculdade de Odontologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul; 2018
  28. Gonzalez Ramos RM, Reyes SAR, Grandal OV, Padrón ER, Pedroso LH. Caracterización bibliométrica de la producción científica de la Facultad de Estomatología “Raúl González Sánchez”, 2011-2015. Rev cubana estomatol. 2018;55(2):8-14.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-12-20
Como Citar
Santos, L. M. M., Silva, J. A. C. da, Borges, C. D., Moreira, A. R. O., Silva, L. C., Santos Júnior, V. E. dos, Soares, M. de L., Marcelos, P. C. L. G. de, & Soares, D. M. (2020). Panorama da prótese total no Brasil: um estudo bibliométrico. ARCHIVES OF HEALTH INVESTIGATION, 9(6), 629-634. https://doi.org/10.21270/archi.v9i6.5091
Seção
Artigos Originais