Plantas medicinais: conhecimento e uso por usuários de Unidades Básicas de Saúde em Araruna - PB, Brasil

Autores

  • Sabrina Avelar Macedo Ferreira Departamento de Odontologia, Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Campus VIII, 58233-000, Araruna, PB, Brasil
  • Diego Romário-Silva Faculdade de Tecnologia do Ipê - FAIPE – 78043-172 Cuiabá - MT, Brasil
  • Pierre Andrade Pereira Oliveira Departamento de Odontologia, Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Campus VIII, 58233-000, Araruna, PB, Brasil
  • Pedro Henrique Sette-de-Souza Departamento de Odontologia, Universidade de Pernambuco (UPE), 56512-200 Arcoverde - PB, Brasil
  • Ana Caroline Rodrigues Departamento de Odontologia. Universidade Federal de Campina Grande, 58708-110 Patos - PB, Brasil
  • Andréa Cristina Barbosa da Silva Departamento de Farmácia, Universidade Estadual da Paraíba (UEPB), Campus I, 58429-500 Campina Grande, PB, Brasil

DOI:

https://doi.org/10.21270/archi.v10i8.5096

Palavras-chave:

Etnobotânica, Plantas Medicinais, Odontologia

Resumo

Estudos etnobotânicos possibilitam o resgate e a preservação dos conhecimentos populares das comunidades, além do que essas informações podem ser utilizadas em pesquisas para produção de fitoterápicos no Brasil, que é ainda incipiente, apesar da sua enorme biodiversidade vegetal. Objetivamos realizar um estudo etnobotânico de plantas medicinais indicadas e utilizadas pela população de Araruna. Dois questionários estruturados diferenciados foram utilizados para a obtenção dos dados socioeconômicos e etnobotânicos, um para os raizeiros e outro para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). A maioria dos entrevistados (66,5%) faz uso de plantas medicinais. Destes, 52,63% residem na zona rural e 47,37% na zona urbana. Além disso, 27,5% obtinham as plantas no próprio domicílio e 27% em outros locais, como na casa de parentes e amigos ou no sítio de vizinhos. Em relação a como foi adquirido o conhecimento sobre a utilização das plantas medicinais, 61% afirmaram ter obtido com a família. As plantas para fins odontológicos mais vendidas pelos raizeiros foram: boldo, camomila, canela, cajueiroroxo, alecrim, alho, babatenon, aroeira, sabugueira, cravo, romã e erva-doce. As plantas mais indicadas e utilizadas pelos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) foram: erva-cidreira, capim santo, boldo, sabugueira, hortelã da folha miúda, malva rosa, romã, hortelã da folha grossa, eucalipto, erva-doce, mastruz, louro, cajueiro roxo, alecrim, arruda e anador. A população de Araruna faz uso de plantas medicinais para o tratamento de diversos agravos à saúde, com conhecimento adquirido de forma popular e sem orientação profissional sobre posologia e/ou possível toxicidade dessas plantas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Santos MRA Lima MR, Ferreira MGR. Uso de plantas medicinais pela população de Ariquemes, em Rondônia. Hortic bras. 2008;26(2):244-50.

Falzon CC, Balabanova A. Phytotherapy: An Introduction to Herbal Medicine. Prim Care. 2017;44:217-27.

Fontes DJ, Coelho VAT, Gomes, FT. Uso de plantas medicinais pelos moradores da comunidade de Conceição de Ibitipoca, MG. Rev Bras Biociênc. Porto Alegre. 2007;5(1):237-39.

Souza CD, Felfili JM. Uso de Plantas Medicinais na Região do Alto Paraíso de Goiás, GO, Brasil. Acta Bot Bras. 2006;20(1):135-42.

Borba AM, Macedo, M. Plantas medicinais usadas para a saúde bucal pela comunidade do bairro Santa Cruz, Chapada dos Guimarães, MT, Brasil. Acta Bot Bras. 2006;20(4):771-82.

França WFA, Marques MMMR, Lira KDL, Higino M. E. Terapêutica com plantas medicinais nas doenças bucais: a percepção dos profissionais no programa de saúde da família do Recife. Odontol clín cient. 2007;6(3):223-37.

Nascimento Júnior BJ1, Tínel LO, Silva ES, Rodrigues, LA, Freita TON, Nunes XP, Amorim ELC. Avaliação do conhecimento e percepção dos profissionais da estratégia de saúde da família sobre o uso de plantas medicinais e fitoterapia em Petrolina-PE, Brasil. Rev bras plantas med. 2016;18:57-66.

Agra MF, Freitas PF, Barbosa Filho JM. Synopsis of the plants known as medicinal and poisonous in Northeast of Brazil. Rev bras farmacogn. 2007;17:114-140.

Agra MF, Silva KN, Basílio IJLD, França, PF, Barbosa Filho JM. Survey of medicinal plants used in the region Northeast of Brazil. Rev bras farmacogn. 2008;18(3):472-508.

Garlet TMB, Irgang BE. Plantas medicinais utilizadas na medicina popular por mulheres trabalhadoras rurais de Cruz Alta, Rio Grande do Sul, Brasil. Rev bras plantas med. 2001;4:9-18.

Jesus NZT, Lima JCS, Silva RM, Espinosa MM, Martins DTO. Levantamento etnobotânico de plantas popularmente utilizadas como antiúlceras e anti-inflamatórias pela comunidade de Pirizal, Nossa Senhora do Livramento - MT, Brasil. Rev bras farmacogn. 2009;19(1):130-39.

Santos EB, Dantas GS, Santos HB, Diniz MFFM, Sampaio FC. Estudo etnobotânico de plantas medicinais para problemas bucais no município de João Pessoa, Brasil. Rev bras farmacogn. 2009;19(1):321-24.

Ceolin T, Heck RM, Barbieri RL, Schwartz E, Muniz RM, Pillon CN. Plantas medicinais: transmissão do conhecimento nas famílias de agricultores de base ecológica no Sul do RS. Rev esc enferm USP. 2011;45(1):47-54.

Elsen, I. Cuidado familial: uma proposta inicial de sistematização. 2. ed. In: Elsen I, Marcon SS, Silva MRS., organizadores. O viver em família e sua interface com a saúde e a doença. Maringá: EDUEM; 2004. p.19-28.

Alves DL, Silva CR. Fitohormônios: abordagem natural da terapia hormonal. São Paulo: Atheneu, 2002.

Veiga Junior, FV. Estudo do consumo de plantas medicinais na Região Centro-Norte do Estado do Rio de Janeiro: aceitação pelos profissionais de saúde e modo de uso pela população. Rev bras farmacogn. 2008;18(2):308-13.

Lopes MA, Obici S, Albiero AL. Conhecimento e intenção de uso da fitoterapia em uma unidade básica de saúde. ICSA.2012;1(1):53-9.

Amaral CN, Guarim Neto G. Os quintais como espaços de conservação e cultivo de alimentos: um estudo na cidade de Rosário Oeste (Mato Grosso, Brasil). Bol Mus Para Emílio Goeldi Ciências Humanas, Belém, 2008;3(3):329-41.

Bochner R, Fiszon JT, Assis MA, Avelar KES. Problemas associados ao uso de plantas medicinais comercializadas no Mercadão de Madureira, município do Rio de Janeiro, Brasil. Rev bras plantas med. 2012;14(3):537-47.

Publicado

2021-09-29

Como Citar

Ferreira, S. A. M., Romário-Silva, D., Oliveira, P. A. P., Sette-de-Souza, P. H., Rodrigues, A. C., & Silva, A. C. B. da. (2021). Plantas medicinais: conhecimento e uso por usuários de Unidades Básicas de Saúde em Araruna - PB, Brasil. ARCHIVES OF HEALTH INVESTIGATION, 10(8), 1231–1236. https://doi.org/10.21270/archi.v10i8.5096

Edição

Seção

Original Articles

Artigos Semelhantes

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.