Tratamento de paciente com disfunção miofascial craniocervicomandibular ascendente associada à alteração vestibulococlear: relato de caso

  • Inacio Bruno Romano Ribeiro
  • Lioney Nobre Cabral
Palavras-chave: Articulação Temporomandibular, Cervicalgia, Pontos-Gatilho, Transtornos Craniomandibulares, Síndromes da Dor Miofascial

Resumo

Dor e disfunção da articulação temporomandibular (DTM) são comuns e resultam de uma ampla variedade de agentes etiológicos, tanto traumáticos quanto não-traumáticos. O conjunto de sinais e sintomas (dor, alteração da função, ruídos articulares) é denominada disfunção temporomandibular (DTM) e, quando abrange também problemas clínicos na região cervical, utiliza-se o termo disfunção craniocervicomandibular (DCCM). Esta condição pode concorrer para as alterações coclear e vestibular, onde a primeira é justificada pela origem embrionária e proximidade anatômica da ATM com a orelha e a segunda, pela disfunção dos músculos da mastigação e cervical (Masseter e Esternocleidomastóideo) que, por serem antigravitacionais, concorrem para a vestibulopatia, e também, otalgias reflexas. Apesar dessas relações existirem sua patogênese não está totalmente esclarecida. Este trabalho tem como objetivo apresentar um caso clínico de diagnóstico e tratamento de paciente com DCCM associado à alteração vestibulococlear.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Okeson JP. Tratamento das desordens Temporomandibulares e Oclusão. 6.ed. Rio de Janeiro: Elsevier; 2008.

Pozzebon D, Piccin CF, Silva AMT da, Corrêa ECR. Disfunção temporomandibular e dor craniocervical em profissionais da área da enfermagem sob estresse no trabalho. Rev CEFAC. 2016;18(2):439-48.

Godinho GV, Cabral LN. Disfunção craniocervicomandibular e alterações vestibulococleares: revisão de literatura. Arch Health Invest. 2019;8(8):405-12.

Mourão NLA, Mesquita VT. A importância da fisioterapia no tratamento das disfunções da ATM. Ter Man. 2006;4(16):66-9.

Santos PPA, Santos PRA, Souza LB. Características gerais da disfunção temporomandibular: conceitos atuais. Rev nav odontol. 2009;3(1):10-3.

Soares PG, Cabral LN. Disfunção temporomandibular associada à cocleopatia: relato de caso. Arch Health Invest. 2019;8(12):789-94.

Neville BW, Damm DD, Allen CM, Bouquet JE. Patologia Oral e Maxilofacial. 3°. Rio de Janeiro: Elsevier; 2009.

Yeng LT, Kaziyama HHS, Teixeira MJ. Síndrome Dolorosa Miofascial. JBA Curitiba. 2003; 3(9):27-43.

Gal P, Kaziama H, Lin T, Teixeira M, Correa C. Síndrome miofascial. Abordagem fisiátrica. Arq Bras Neurocirurg. 1991;10(4):181-87.

Skorupska E, Rychlik M, Samborski W. Validation and test-retest reliability of new thermographic technique called thermovison technique of dry needling for gluteus minimums trigger points in sciatica subjects and TrPs-negative healthy volunteers. Biomed Res Int. 2015;2015:546497.

Haddad DS, Brioschi ML, Arita ES. Thermographic and clinical correlation of myofascial trigger points in the masticatory muscles. Dentomaxillofac Radiol. 2012;41(8):621-29.

Unverzagt C, Berglund K, Thomas JJ. Dry needling for myofascial trigger point pain: a clinical commentary. Int J Sports Phys Ther. 2015;10(3):402-18.

Amantéa DV, Novaes AP, Campolongo GD, Barros TP. A importância da avaliação postural no paciente com disfunção da articulação temporomandibular. Acta ortop bras. 2004;12(3):155-59.

Robocado SM. Cabeza y Cuello. Tratamento Articular. Inter Médica Editor. 1979.

Farias KR. Sinais e sintomas de desordens temporomandibulares em pacientes portadores de disfunção vestibular [monografia]. Campina Grande: Universidade Estadual da Paraíba; 2015.

Rabello GD. Dores orofaciais. In: Manganello LC, Silveira ME, Silva AA. Cirurgia de articulação temporomandibular. São Paulo: Gen; 2014.

Campi LB, Jordani PC, Tenan HL, Camparis CM, Gonçalves DA. Painful temporomandibular disorders and central sensitization: implications for management-a pilot study. Int J Oral Maxillofac Surg. 2017;46(1):104-10.

Costa YM, Conti PC, de Faria FA, Bonjardim LR. Temporomandibular disorders and painful comorbidities: clinical association and underlying mechanisms. Oral Surg Oral Med Oral Pathol Oral Radiol. 2017;123(3):288-97.

Fonseca DM, Bonfate G, Valle AL, Freitas SFT. Diagnóstico pela anamnese da disfunção craniomandibular. Rev Gaucha Odontol. 1994;42(1):23-8.

Schiffman EL, Fricton JR, Haley DP, Shapiro BL. The prevalence and treatment needs of subjects with temporomandibular disorders. J Am Dent Assoc. 1990;120(3):295-303.

Maydana AV, Tesch RS, Denardin OVP, Ursi WJS, Dworkin SF. Possíveis fatores etiológicos para desordens temporomandibulares de origem articular com implicações para diagnóstico e tratamento. Dental Press J Orthod. 2010; 15(3):78-86.

Pessoa CP, Barreto MB, Santos LB, Alves TDB, Oliveira MC, Martins AG. Instrumentos utilizados na avaliação do impacto da dor na qualidade de vida de pacientes com dor orofacial e disfunção temporomandibular. Rev Baiana Saúde Pública. 2007;31(2):267-93.

Nomura K, Vitti M, Oliveira AS, Chaves TC, Semprini M, Siéssere S, Hallak JE, Regalo SC. Use of the Fonseca's questionnaire to assess the prevalence and severity of temporomandibular disorders in Brazilian dental undergraduates. Braz Dent J. 2007;18(2):163-7.

Oliveira AS, Bevilaqua-Grossi D, Dias EM. Sinais e sintomas da disfunção temporomandibular nas diferentes regiões brasileiras. Fisioter Pesqui. 2008;15(4):392-96.

American Society of Temporomandibular Joint Surgeons. Guidelines for diagnosis and management of disorders involving the temporomandibular joint and related musculoskeletal structures. Cranio. 2003;21(1):68-76.

Kinote APB de M, Melo LTM, Vieira AAC, Ferreira NMN, Abdon AP de V. Perfil funcional de pacientes com disfunção temporomandibular em tratamento fisioterápico. Rev Bras Promoç Saúde. 2011;24(4):306-12.

Gonçalves RN, Ordenes IEU, Bigaton DR. Efeito indireto da TENS sobre os músculos cervicais em portadores de DTM. Fisioter Mov. 2007; 20(2):83-90.

Oliveira KB, Pinheiro ICO, Freitas DG, Gualberto HD, Carvalho NAA. A abordagem fisioterapêutica na disfunção da articulação temporomandibular. Revisão da literatura. Med Reabil. 2010;29(3):61-4.

Jacob LCB, Rabiço TM, Campêlo RM, Aguiar FP, Zeigelboim BS. Sintomas auditivos e análise das emissões otoacusticas evocadas por estímulo transiente em indivíduos portadores de disfunção temporomandibular. Rev Disturb comun. 2005;17(2):173–82.

Arlen H. The otomandibular syndrome. In: Gelb H. Clinical management of head, neck and TMJ pain and dysfunction. Philadelphia: Sauders; 1985.

Portero PP, Kern R, Kusma SZ, Grau-Grullón P. Placas oclusais no tratamento da disfunção temporomandibular (DTM). Rev Gestão & Saúde. 2009;1(1):36-40.

Publicado
2020-11-23
Como Citar
Ribeiro, I. B. R., & Cabral, L. N. (2020). Tratamento de paciente com disfunção miofascial craniocervicomandibular ascendente associada à alteração vestibulococlear: relato de caso. ARCHIVES OF HEALTH INVESTIGATION, 10(1), 31-37. https://doi.org/10.21270/archi.v10i1.5117
Seção
Original Articles