A influência da atividade física na doença hepática gordurosa não alcoólica

  • Raphaella Maria Oliveira Pereira Gomes Universidade Tiradentes (UNIT), Aracaju-SE, Brasil
  • Victor Fernando Costa Macedo Noronha Universidade Tiradentes (UNIT), Aracaju-SE, Brasil
  • Gabriel Ponciano Santos de Carvalho Universidade Tiradentes (UNIT), Aracaju-SE, Brasil
  • Ana Amélia Barreto Fontes Universidade Tiradentes (UNIT), Aracaju-SE, Brasil
  • Sônia Oliveira Lima Universidade Tiradentes (UNIT), Aracaju-SE, Brasil
  • Joseane Barbosa de Jesus Departamento de Educação Física da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Aracaju-SE, Brasil
  • Mário Augusto Ferreira Cruz Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo (FMRP-USP) 14049-900 Ribeirão Preto – SP, Brasil
  • Luis Guilherme Rosifini Alves Rezende Médico Assistente do Programa de Cirurgia da Mão, Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da Universidade de São Paulo, HC-FMRP-USP, Campus Monte Alegre, 14049-900 Ribeirão Preto – SP, Brasil
  • Josilda Ferreira Cruz Universidade Tiradentes (UNIT), Aracaju-SE, Brasil
Palavras-chave: Fígado Gorduroso, Ultrassonografia, Estilo de Vida Sedentário, Obesidade

Resumo

O objetivo do presente trabalho foi associar a presença de esteatose hepática não alcoólica diagnosticada pela ultrassonografia (USG) com os níveis de atividade física. Estudo clínico, prospectivo, tipo survey, com dados coletados em um centro de referência em USG. A coleta de dados foi dividida em três etapas: aplicação de questionários, tendo destaque o Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ) em sua versão curta; aferição das medidas antropométricas e exame de USG abdominal. A análise estatística foi realizada através do software R, versão 3.6.1. O estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa. Foram analisados 119 pacientes, de ambos os sexos, com idade entre 18 e 70 anos e 06 atenderam aos critérios de exclusão. Demonstrou-se que 59,29% dos pacientes apresentavam o diagnóstico de esteatose hepática não alcoólica. Destes, 59,7% eram sedentários. Concluiu-se que a inatividade física apresentou associação significativa com a presença da infiltração gordurosa no fígado.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Medrano M, Arenaza L, Migueles JH, Rodríguez-Vigil B, Ruiz JR, Labayen I. Associations of physical activity and fitness with hepatic steatosis, liver enzymes, and insulin resistance in children with overweight/obesity. Pediatr Diabetes. 2020;21(4):565-74.

Shaunak M, Byrne CD, Davis N, Afolabi P, Faust SN, Davies JH. Non-alcoholic fatty liver disease and childhood obesity. Arch Dis Child. 2021;106(1):3-8.

Wang ST, Zheng J, Peng HW, Cai XL, Pan XT, Li HQ, Hong QZ, Peng XE. Physical activity intervention for non-diabetic patients with non-alcoholic fatty liver disease: a meta-analysis of randomized controlled trials. BMC Gastroenterol. 2020;20(1):66.

Yari Z, Cheraghpour M, Aghamohammadi V, Alipour M, Ghanei N, Hekmatdoost A. Energy-dense nutrient-poor snacks and risk of non-alcoholic fattyliver disease: a case-control study in Iran. BMC Res Notes. 2020;13(1):221.

Tahir F, Majid Z, Majid B, Ahmed J, Zaman A, Tariq M et al. Anthropometric Measurements and Lifestyle Characteristics of Individuals with Non-alcoholic Fatty Liver Disease. Cureus. 2020;12(2):e7016.

Ross R, Soni S, Houle SA. Negative Energy Balance Induced by Exercise or Diet: Effects on Visceral Adipose Tissue and Liver Fat. Nutrients. 2020;12(4):891.

Stevanović J, Beleza J, Coxito P, Ascensão A, Magalhães J. Physical exercise and liver "fitness": Role of mitochondrial function and epigenetics-related mechanisms in non-alcoholic fatty liver disease. Mol Metab. 2020;32:1-14.

Kwak MS, Kim D. Non-alcoholic fatty liver disease and lifestyle modifications, focusing on physical activity. Korean J Intern Med. 2018;33(1):64-74.

Matsudo SM, Matsudo VR, Araújo T, Andrade D, Andrade E, Oliveira L et al. Nível de atividade física da população do Estado de São Paulo: análise de acordo com o gênero, idade, nível socioeconômico, distribuição geográfica e de conhecimento. Rev. Bras. Ciên. e Mov. 2002;10(4):41-50

Mincis M, Mincis R. Álcool e o fígado. GED gastroenterol endosc dig. 2011;30(4):152-62.

Lohman TG, Caballero B, Himes JH, Davis CE, Stewart D, Houtkooper L et al. Estimation of body fat from anthropometry and bioelectrical impedance in Native American children. Int J Obes Relat Metab Disord. 2000;24(8):982-28.

Saadeh S, Younossi ZM, Remer EM, Gramlich T, Ong JP, Hurley M et al. The utility of radiological imaging in nonalcoholic fatty liver disease. Gastroenterology.2002;123(3):745-50.

Ahmed IA, Mikail MA, Mustafa MR, Ibrahim M, Othman R. Lifestyle interventions for non-alcoholic fatty liver disease. Saudi J Biol Sci. 2019;26(7):1519-24.

Kenneally S, Sier JH, Moore JB. Efficacy of dietary and physical activity intervention in non-alcoholic fatty liver disease: a systematic review. BMJ Open Gastroenterol. 2017;4(1): e000139.

Gerber L, Otgonsuren M, Mishra A, Escheik C, Birerdinc A, Stepanova M et al. Non-alcoholic fatty liver disease (NAFLD) is associated with low level of physical activity: a population-based study. Aliment Pharmacol Ther. 2012;36(8):772-81.

Yu R, Shi Q, Liu L, Chen L. Relationship of sarcopenia with steatohepatitis and advanced liver fibrosis in non-alcoholic fatty liver disease: a meta-analysis. BMC Gastroenterol. 2018;18(1):51.

Bacchi E, Negri C, Targher G, Faccioli N, Lanza M, Zoppini G, Zanolin E, Schena F, Bonora E, Moghetti P. Both resistance training and aerobic training reduce hepatic fat content in type 2 diabetic subjects with nonalcoholic fatty liver disease (the RAED2 Randomized Trial). Hepatology. 2013;58(4):1287-95.

Dâmaso AR, Tock L., Tufik S, Prado WL, Stella SG, Fisberg M et al. Tratamento multidisciplinar reduz o tecido adiposo, visceral, leptina, grelina e a prevalência de esteatose hepática não alcoólica (NAFLD) em adolescentes obesos. Rev Bras Med Esporte. 2006;12(5): 263-67.

Pinto CG iulian. de S, Marega M, Carvalho JAM alu. de, Carmona FG ambett., Lopes CE duard. F, Ceschini FL ui., et al. Physical activity as a protective factor for development of non-alcoholic fatty liver in men. Einstein. 2015;13(1):34-40.

Marçal DFS, Alexandrino EG, Cortez LER, Bennemann RM. Efeitos do exercício físico sobre diabetes mellitus tipo 1: Uma revisão sistemática de ensaios clínicos e randomizados. J Phys Educ. 2018;29:e2917.

Publicado
2021-06-17
Como Citar
Gomes, R. M. O. P., Noronha, V. F. C. M., Carvalho, G. P. S. de, Fontes, A. A. B., Lima, S. O., Jesus, J. B. de, Cruz, M. A. F., Alves Rezende, L. G. R., & Cruz, J. F. (2021). A influência da atividade física na doença hepática gordurosa não alcoólica . ARCHIVES OF HEALTH INVESTIGATION, 10(6), 949-954. https://doi.org/10.21270/archi.v10i6.5466
Seção
Original Articles